Apenas 30% dos motoristas de Salvador cumprem isolamento e ficam em casa

coronavírus
14.04.2020, 05:00:00
Motoristas na manhã desta segunda-feira (13) enfrentando chuva (Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)

Apenas 30% dos motoristas de Salvador cumprem isolamento e ficam em casa

Levantamento é de abril, quando movimento nas avenidas da cidade cresceu em comparação ao mês anterior

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O número de pessoas que estão quebrando a quarentena e voltando a andar de carro pelas ruas e avenidas de Salvador aumentou em abril, na comparação com março. Segundo a Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador), a quantidade de motoristas que está respeitando as medidas de isolamento social alterna muito a cada dia, mas tem sido de 30% em média. No mês passado, variava entre 47% a 50%. Esse comportamento vem deixando as autoridades preocupadas.

Nos primeiros dias após a publicação dos decretos municipais determinando as medidas de isolamento, em 17 de março, o que se viu foi pouco movimento de carros e pedestres nas principais avenidas da cidade. A cena do Iguatemi sem congestionamento em uma manhã de segunda-feira foi tão impactante que foi parar nas redes sociais de muitos baianos como algo surpreendente. Mas isso está mudando.

Os dados da Transalvador revelam que no primeiro fim de semana após a determinação da quarentena, no mês passado, o movimento de carro nas vias monitoradas pelo órgão caiu 50%, no sábado, e 62%, no domingo. Os números fazem um comparativo com março dos anos anteriores.

Para ter uma ideia, a média para o dia 22 de março é de 460 mil veículos transitando pelas avenidas de Salvador, mas no dia 22 de março de 2020, apenas 175 mil deles saíram das garagens. Bem diferente do Domingo de Páscoa, por exemplo, quando a queda no movimento foi de apenas 32%. Para o superintendente da Transalvador, Fabrizzio Muller, a população está relaxando do isolamento.

“A gente está acompanhando diariamente esse movimento e percebemos que em alguns dias aumentou o fluxo. Isso também vem acontecendo em outras cidades. Está variando muito (em Salvador). No início dos decretos de restrições tivemos uma queda acentuada de circulação de veículos que chegou a 62%. Na primeira semana se estabilizou entre 47% e 50%, mas teve picos de 22% já na terceira semana”, afirmou.

Em abril, a população tem saído mais de casa. “O fluxo agora segue em torno de 30% a menos que o normal. Tivemos um dia no início do mês em que a queda foi de apenas 22%, talvez em razão de salários pagos e as pessoas saindo para fazer compras de mantimentos. Na Sexta-Feira Santa tivemos uma queda acentuada, mas, em média, cerca de 30% é que estão se mantendo em casa”, disse.

Os motivos para justificar a quebra da quarentena são diversos, mas para a médica infectologista da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) Adielma Nizarala, esse comportamento individual prejudica a saúde coletiva. Ela frisou que as medidas de isolamento são comprovadamente as mais eficazes até o momento porque ajudam a evitar a disseminação rápida do novo coronavírus, e que precisam ser respeitadas em nome do bem-estar de todos.

“O número de casos na Bahia está crescendo bem devagar e por isso as pessoas pensam que não é perigoso e resolvem sair. Essas pessoas que estão indo para a rua de forma inadequada só vão se dar conta do problema quando morrer um familiar ou um vizinho. É diferente ver esses casos distantes, e ver isso dentro de sua casa ou na sua rua. O que está acontecendo no restante do mundo vai acontecer na Bahia se a gente relaxar”, disse.

Salvador tem pouco mais de 1 milhão de veículos. Um deles pertence a administradora Gabriela Ferreira, 32 anos. “Eu saí de casa algumas vezes este mês, mas por questões pontuais, como fazer mercado, comprar os ovos da páscoa e no sábado fui almoçar com meus pais. Em março não precisei sair nenhum dia porque já tinha feito compras e não tivemos datas comemorativas, mas não pretendo sair nos próximos dias”, contou.

Um índice de isolamento social feito pela empresa In Loco com base na localização dos celulares aponta que na Bahia o isolamento está em média em 51% O percentual é o mesmo de estados como São Paulo, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte, mas fica atrás do Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco e Ceará.

Em março, 50% deles estavam em casa (Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)

Conscientização
Durante a inauguração de uma Unidade de Saúde da Família (USF) em Fazenda Grande III, nesta segunda-feira (13), o prefeito ACM Neto comentou sobre a decisão de alguns moradores em desrespeitar a quarentena. Ele disse que a prefeitura está fazendo o possível para conscientizar a população e que o Município está endurecendo a fiscalização para fazer valer os decretos.

“É preciso que cada cidadão tenha consciência do seu papel. É preciso que cada pessoa saiba que nós só vamos vencer o coronavírus se ela der a sua contribuição. O que a prefeitura pode, e está fazendo, é fiscalizar os estabelecimentos para garantir e assegurar o cumprimento dos decretos que foram publicados”, afirmou.

O prefeito disse que ainda não há perspectivas de quando essas ações serão suspensas. Estão fechadas escolas, universidades, shoppings centers, academias, quadras de esportes, parques, salões de beleza, barbearias e tudo o que não é considerado atividade essencial. Bares e restaurantes podem funcionar apenas no sistema de entrega ou retirada de alimentos, mas os salões devem ficar fechados para evitar aglomeração.

“As medidas que nós adotamos de restrição, de suspensão de atividades, e de isoamento social estão dando resultado, tanto que Salvador, graças a Deus, não está no rol das cidades em situação de descontrole, pelo contrário, estamos conseguido controlar o avanço e o crescimento da curva.  Isso é fundamental para que a gente tenha tempo de preparar toda a nossa rede de assistência à saúde”, defendeu.

O dia 9 foi o mais movimentado de abril até agora, véspera da Sexta-Feira Santa. Cerca de 43 mil motoristas foram vistos transitando pela capital. O número é 29% menor que o normal, mas ainda está acima do que as autoridades públicas desejam.

Crescimento no movimento de pessoas nas ruas preocupa autoridades e especialistas (Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)

Saúde Pública
Enquanto o vai e vem das ruas volta a ficar frenético, o secretário municipal de Saúde, Léo Prates, afirmou que as cidades que tiveram sucesso no mundo no enfretamento ao novo coronavírus foram aquelas que se preveniram com antecedência e tomaram medidas de restrição de circulação de gente. Em Salvador, elas começaram quando a cidade teve o primeiro caso, e a população ajudou ficando em casa.

“Esse fim de semana nos preocupou bastante, por conta do fluxo de pessoas circulando pela cidade. E isso nos preocupa ainda mais porque serão três feriadões em sequência. Teve a Semana Santa, teremos 21 de abril, e o 1º de maio. Nos preocupa bastante porque alguns estudos mostram que devemos viver o pico de contaminação na Bahia em maio, então, tudo o que fazemos agora terá reflexo mais à frente”, afirmou.

O CORREIO perguntou para a Secretaria Estadual da Saúde (Sesab) se a pasta vai adotar alguma nova medida para fazer as pessoas ficarem em casa. O órgão disse que no que se refere ao estado, está adotando as medidas cabíveis, mas não especificou quais são essas ações. 

Até a manhã desta segunda-feira, a Bahia tinha 723 casos confirmados da Covid-19, sendo que 73 dos infectados são profissionais de saúde. Outros 22 pacientes morreram  vítimas da doença.

Confira quais são as vias com maior volume de tráfego em Salvador:

1 - Av. Luis Viana (Paralela) - 31.263.496 veículos.

2 - Av. Mario Leal Ferreira (Bonocô) - 11.936.328 veículos.

3 - Av. Octávio Mangabeira (Orla) - 10.924.436 veículos.

4 - Av. Afrânio Peixoto (Suburbana)  - 9.623.161 veículos.

5 - Av. Luis Eduardo Magalhães - 5.772.243 veículos.

*Os dados são de 1º de janeiro até 31 de março de 2020;

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas