Apesar de muito jovens, essas meninas arrasam na cozinha

bem-estar
30.03.2017, 15:11:00
Atualizado: 30.03.2017, 15:11:46

Apesar de muito jovens, essas meninas arrasam na cozinha

Pode até parecer brincadeira, mas essas pequenas levam isso a sério

Cozinhar é coisa para gente grande? Basta alguns segundos com Alice Ribeiro, de 6 anos, e Maria Giulia Chetto, de 8, para saber que a resposta é não. Além de gostarem de preparar suas sobremesas preferidas, as duas adoram deixar as brincadeiras mais gostosas, seja cozinhando para as bonecas ou fazendo geladinho durante as férias para vender aos vizinhos. E elas não estão sozinhas.

Cada vez mais crianças se lançam na divertida jornada de descobrir a cozinha, mas sempre sob o olhar de um adulto. A inspiração pode vir de casa, dos próprios pais, babás, amigos ou até de programas de TV e canais no Youtube voltados para esse público. Alguns são famosos no mundo inteiro como o Master Chef Junior, que teve sua primeira edição brasileira em 2015. Entre sobremesas e pratos principais, empratamentos e apresentação, para elas, a diversão começa antes mesmo do prato ficar pronto. Conheça nossas chefs mirins e seu amor pela cozinha.

"Aprendo a cozinhar mais com meu pai e gosto muito. Uma vez fiz o jantar de minha mãe", Alice começou a cozinhar aos 4 anos, fazendo massa em uma máquina que ganhou de presente. (Foto: Angeluci Figueiredo/CORREIO)

Alice Ribeiro, 6 anos

O cupcake é um dos doces preferidos de Alice, que ela faz com a ajuda da mãe (Foto: Angeluci Figueiredo/CORREIO)

Os brinquedos ajudam a fazer a paixão pela cozinha crescer e as brincadeiras também. “Nas férias, fazia geladinho e brigadeiro para vender no condomínio”, conta, rindo. Mas ela diz que não mexia em fogo: “Era só uma mistura de leite condensado com chocolate”. Na verdade, a pequena não cozinha nada que vá ao fogo ou forno a gás. Nem mesmo utiliza materiais cortantes sem supervisão de um adulto. Para compensar, usa micro-ondas ou um forninho elétrico. Outras inspirações dela são os programas de TV. “Tinha uma série chamada Food Hunters, que ensinava técnicas para melhorar a comida, para fazer ovo, peixe”, lembra. “Teve um episódio que me impressionou, fizeram caramelo usando um maçarico”, finaliza.

"Gosto dos dois  de forma igual, tanto de comer quanto cozinhar", diz Maria Giulia que tinha 4 anos quando começou a fazer cupcakes e adora preparar sobremesa
com a mãe (Foto: Angeluci Figueiredo/CORREIO)

Maria Giulia Chetto, 8 anos
Uma das primeiras coisas que Maria Giulia aprendeu a fazer na cozinha foi cupcakes. Desde então, ela vem experimentando outras, como espaguete ao molho carbonara, que faz com a mãe, Thayana Chetto. Mas é da sobremesa que ela gosta mais. Tanto que as duas até inventaram uma: o pavê de brigadeiro, nome que deram à mistura do doce com biscoito, que é servida gelada.

O pavê de brigadeiro é uma criação de Maria Giulia e sua mãe na cozinha (Foto: Angeluci Figueiredo/CORREIO)

A principal inspiração vem de casa, já que os pais também se arriscam na cozinha. Mas ela aprendeu algumas coisas com a babá e com programas de televisão. “Eu assistia até aquele Pesadelo na Cozinha, mesmo sem minha mãe deixar.” A menina fala que entre comer e preparar, prefere não escolher porque ama as duas coisas. Quando não está na cozinha, brinca de estar lá. Já teve brinquedos que fazem massa, sorvete, raspadinha e adora usar o forno elétrico da prima para fazer pratos quentes. “Aí elas podem usar sem medo”, conta a mãe, que revela evitar deixar Giulia sozinha na cozinha por questões de segurança. “Eu insisto, mas ela não deixa”, finaliza a peque

Lorenzo Ravioli foi vencedor da edição nacional do Masterchef Junior (Foto: Divulgação)

Pra criança é diferente
Quem garante isso é a chef Andrea Torres, professora do Curso de Gastronomia da Ufba e sócia do Maria Margarida Atelier Gastronômico. Ela conta que a forma de trabalhar com os pequenos na cozinha é bem diferente dos adultos. “Costumo ver a culinária infantil como uma forma de aprendizado”, explica. Andrea conta que, na cozinha, elas têm contato com português, matemática e até química e, por isso, cozinhar é também uma forma de absorver conhecimento. “Além disso, tem estímulo motor, sensorial e, claro, a parte lúdica, que trata da história dos alimentos”, pontua.

Preparo
“Quem gosta de cozinhar, geralmente, são crianças que gostam de comer”, diz. Mas, antes de entrarem na cozinha, é bom ter familiaridade com o universo. O Atelier oferece aulas para pequenos de 7 a 13 anos, mas Andrea sempre conversa com os pais para saber até onde as crianças podem ir com forno, fogão, facas...

Inspiração

Tem Criança na Cozinha vai ao ar no Gloob e ensina receitas (Foto: Divulgação)

Na telinha
Uma das formas de aprender a cozinhar brincando é acompanhar programas de TV ou canais no Youtube, voltados para o público infantil. O Tem Criança na Cozinha vai ao ar no canal fechado Gloob em diversos horários na grade de programação, além de estar disponível na web. Também tem os canais A Fantástica Cozinha de Clara e Sarinha, que mostram duas meninas, Clara e Sara,  que mandam bem na cozinha.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas