Após 12 anos, filho localiza assassino do pai na internet e homem acaba preso

em alta
23.03.2022, 17:37:00
(Foto: Arquivo Pessoal/Leandro Rodruigues)

Após 12 anos, filho localiza assassino do pai na internet e homem acaba preso

Leandro Rodrigues era apenas um adolescente quando perdeu o pai, mas conta que nunca desistiu de fazer justiça

Há 12 anos o líder de produção Leandro Rodrigues, de 28 anos, tem buscado justiça pela morte de seu pai, assassinado em Registro, no interior de São Paulo. Desde 2010, o rapaz busca o autor do crime e, após conseguir pistas de sua localização pela internet, conseguiu denunciar o homem que estava foragido da Justiça.

Em entrevista ao g1 nesta quarta-feira (23), Leandro contou que entregou as informações que levantou à polícia e à Guarda Municipal, o que levou à prisão do suspeito.

Na época do crime, Elder Alves, pai de Leandro, se dirigia até uma delegacia registrar um boletim de ocorrência contra o suspeito devido a agressões e ameaças de morte que recebia. No entanto, Elder foi alvejado por dois disparos de arma de fogo, um deles atingindo seu coração, no caminho da delegacia.

Leandro relatou que a Justiça chegou a decretar a prisão do suspeito, mas ele estava foragido desde 2010, mas ele nunca desistiu de localizá-lo.

"Depois do crime, uma policial me orientou a nunca deixar de ir atrás do assunto no Fórum. Aí, eu consegui um estágio lá, depois de um tempo, achando que, trabalhando lá, tudo iria dar certo, que conseguiria fazer irem atrás do cara, ficarem em cima do caso, mas nada disso aconteceu. Eu vi o processo dele guardado na prateleira, e nada de pistas, então, resolvi ler para ir atrás de mais informações do suspeito", diz.

Suas investigações pessoais deram certo quando, em uma pesquisa na internet, ele descobriu que o suspeito havia aberto uma empresa no nome verdadeiro dele, na cidade de Aracaju, porém, usou um telefone de Curitiba.

"Eu liguei na polícia de Aracaju, confirmaram que era ele [o dono], e aí, passei a investigar mais a parte de Curitiba. Fiz um PIX para o CNPJ dele, e apareceu o nome dele. Depois, fiz um PIX para o número de celular dele que consegui, e apareceu o nome da mulher dele", afirma.

Com os nomes, o rapaz conseguiu localizar o perfil do suspeito e de sua mulher nas redes sociais, descobrindo que eles estavam vivendo na Fazenda Rio Grande, no Paraná. "Eu consegui falar com a inteligência da Polícia Civil e da Guarda Municipal, e um policial, que era amigo da esposa dele [suspeito] nas redes sociais, também ajudou a localizar eles, e os guardas conseguiram prender o acusado", afirma.

"A prisão dele é um alívio. Agora, finalmente, ele vai pagar pelo que fez. Na minha vida toda, eu nunca desisti, nunca deixei de procurar ele, e o que me deu força para isso foi o amor que tinha pelo meu pai. Ele era tudo para mim. Foi muito difícil todos esses anos procurá-lo [suspeito], porque ele nunca deu pista de nada. Parece que Deus foi me mostrando o caminho, a hora certa, e felizmente, ele acabou se precipitando em abrir essa empresa no nome dele", afirma.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas