Após almoço com Bolsonaro, embaixador dos EUA fará exame para covid-19

coronavírus
06.07.2020, 23:22:00
Atualizado: 06.07.2020, 23:33:54
(Divulgação)

Após almoço com Bolsonaro, embaixador dos EUA fará exame para covid-19

Todd Chapman, com quem o presidente brasileiro almoço no sábado, seguirá 'protocolo de rastreamento'

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Após o presidente Jair Bolsonaro confirmar que está com sintomas da covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, a assessoria de comunicação da Embaixada dos Estados Unidos em Brasília divulgou uma nota no fim da noite desta segunda-feira (6) informando que o embaixador Todd Chapman “não apresenta nenhum sintoma, mas está tomando as devidas precauções e fará os testes apropriados, seguindo os protocolos de rastreamento do CDC (Center of Disease Control)”.

A manifestação da representação norte-americana foi feita após o próprio Bolsonaro informar, horas antes, que fora ao Hospital das Forças Armadas fazer “uma chapa do pulmão” e um exame para covid-19. O presidente fez o teste após passar horas febril, com 38ºC, e sentindo um pouco de mal-estar. O resultado deve sair até o meio-dia desta terça-feira (7/7)

Leia a manifestação enviada pela assessoria da Embaixada dos EUA ao portal Metrópoles, de Brasília:

“O embaixador Chapman teve um almoço privado, no dia 4 de julho, com o presidente Bolsonaro, cinco ministros e o deputado Eduardo Bolsonaro. O embaixador não apresenta nenhum sintoma, mas está tomando as devidas precauções e fará os testes apropriados, seguindo os protocolos de rastreamento do CDC.

Nossos dois governos mantêm uma comunicação contínua, incluindo sobre esse caso. Desejamos as melhoras para o presidente Bolsonaro.”

No sábado, dia 4 de julho, Bolsonaro esteve no almoço em comemoração ao 244º aniversario de independência dos Estados Unidos. O evento ocorreu na casa do próprio embaixador Todd Chapman, no Lago Sul.

A agenda já estava prevista nos compromissos oficiais da Presidência da República, logo após a chegada de Bolsonaro de Florianópolis, o presidente foi a Santa Catarina para ver os estragos causados pelo ciclones. O primeiro convidado a comparecer ao local foi o chefe da Casa Civil, Braga Netto.

Estiveram presentes no evento, além de Chapman e Bolsonaro, Lorenzo Harris, adido de Defesa dos EUA; O general Luiz Eduardo Ramos, ministro da Secretaria de Governo; Fernando Azevedo e Silva, ministro da Defesa; Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores; general Braga Netto, ministro-chefe da Casa Civil; e Flávio Rocha, secretário especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, além do deputado federal Eduardo Bolsonaro (SPL-SP), um dos filhos de Bolsonaro.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas