Após Sony, Panasonic vai parar de produzir aparelhos de TV no Brasil

em alta
11.08.2021, 17:32:00
Atualizado: 11.08.2021, 17:33:13
Fábrica da Panasonic em Manaus (Foto: Google)

Após Sony, Panasonic vai parar de produzir aparelhos de TV no Brasil

Fábrica de Manaus anunciou demissões; decisão surpreendeu setor varejista

Depois de a Sony anunciar, em março, o fim da produção e venda de seus aparelhos de televisão no Brasil, agora é a vez de a Panasonic confirmar que vai deixar de fabricar suas TVs e produtos de áudio no país até o final deste ano. As informações são do Valor Econômico e jornal O Globo.

A multinacional japonesa, que também confirmou dezenas de demissões, informou que o encerramento da produção de TV e áudio no Brasil é uma decisão que segue uma estratégia global, com foco na sustentabilidade do negócio. 

Apesar de os produtos serem produzidos na fábrica de Manaus (AM), a unidade vai manter sua atividade com as linhas de micro-ondas, produtos automotivos e componentes eletrônicos.

Com o fim da área de TVs e áudio, a Panasonic vai demitir 130 funcionários até o final deste ano. O número representa 5% dos 2.400 colaboradores da empresa no país.

Além de Manaus, a Panasonic tem ainda a fábrica em Extrema (MG), onde produz máquinas de lavar e refrigeradores. Em São José dos Campos (SP) fica a unidade de fabricação de pilhas de zinco e alcalinas.

Segundo O Globo, a notícia da saída da Panasonic surpreendeu redes de varejo e analistas. Uma fonte do setor lembrou que o mercado de TVs vem passando por uma disputa tecnológica acirrada, o que exige pesados investimentos em software, conectividade e parcerias com empresas de variados setores como os de streaming de vídeos.

Foi essa falta de investimento que fez a japonesa Sony perder a corrida no setor, amargando vendas cada vez menores. O mesmo ocorreu com a Panasonic, ressaltou essa mesma fonte à publicação.

Atualmente, o segmento é dominado no país pela coreana Samsung, seguida da também coreana LG. Em paralelo, diversas marcas passaram a investir no setor com produtos voltados para a chamada faixa intermediária, com preços a partir de R$ 1.400.

Foi assim que nos últimos meses a Britânia, conhecida pelos eletrodomésticos, anunciou seus primeiros modelos, seguido da Toshiba, que selou parceria com a Multilaser. Fontes do setor revelam que Sanyo e Sharp são outras marcas de sucesso dos anos 1980 e 1990 que preparam o retorno às lojas. Com informações do Valor e O Globo.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas