Atrasar ou não tomar a segunda dose é o mesmo que não ter sido imunizado

coronavírus
10.04.2021, 15:00:00
Atualizado: 10.04.2021, 15:18:58
(Foto: Arisson Marinho/Arquivo CORREIO)

Atrasar ou não tomar a segunda dose é o mesmo que não ter sido imunizado

Secretaria de Saúde de Salvador tem feito campanhas de conscientização sobre importância do retorno

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Mais de 3,5 mil pessoas não voltaram para tomar a segunda dose da vacina contra a covid-19 apenas em Salvador. Até o momento, todos os imunizantes usados no Brasil são compostos por duas etapas de vacinação. 

Só que, como alerta a infectologista Adielma Nizarala, da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), enquanto a pessoa não cumprir as duas doses signfica que ela não foi imunizada. Mesmo com atraso, a vacinação deve ser feita assim que for possível. 

"E, para a população em geral, o risco, se as pessoas começarem a não completar seu esquema vacinal, é que o vírus vai continuar circulando. Ou seja, a imunidade de rebanho não vai ser alcançada", reforça. 

Para tentar recuperar os 'faltosos', a SMS tem feito campanhas de conscientização sobre a importância do retorno. Outra estratégia também tem sido fazer convocações, através de mensagens SMS, para que essas pessoas voltem aos postos de saúde. 

Leia a reportagem principal: Vacinados, mas sem 'queimar máscaras': entenda como imunizados podem pegar covid

Além disso, há alguns cuidados que devem ser tomados para a imunização. Um deles é que, a partir desta segunda-feira (12), terá início a campanha de vacinação contra a gripe. No entanto, é preciso esperar pelo menos 14 dias entre uma vacina e outra. 

“O sistema imune precisa de um tempo para responder e produzir os anticorpos protetores”, explica a virologista Andréa Gusmão, professora da UniFTC e da Ufba. 

A campanha da gripe, que segue a orientação do cronograma nacional, começará com crianças entre seis meses e seis anos, gestantes, puérperas (mulheres que estão no período de até 45 dias do parto), trabalhadores de saúde e povos indígenas. 

Há, ainda, outra recomendação importante: a de evitar o consumo de bebidas alcóolicas por pelo menos 15 dias depois de receber cada uma das doses da vacina contra a covid-19. 

“O álcool é metabolizado no fígado e isso pode interferir no desenvolvimento de uma resposta imune protetora. Imagine que o corpo está recebendo uma carga de antígenos que vão precisar ser metabolizados e o álcool pode interferir de forma negativa, comprometendo proteínas que poderiam ser sintetizadas pelo fígado”, completa a virologista. 

*Colaborou Vinícius Nascimento

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas