Autoteste com registro na Anvisa custará entre R$ 39 e R$ 70

coronavírus
02.03.2022, 14:25:00
(Damien Meyer / AFP)

Autoteste com registro na Anvisa custará entre R$ 39 e R$ 70

No Brasil, quatro produtos já foram aprovados

Os autotestes para covid-19 aprovados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) devem chegar ao mercado até o dia 7 de março, afirmam as empresas. Os valores devem variar entre R$ 39 e R$ 70 para o consumidor final.

A Anvisa autorizou a venda de autotestes no país no último dia 28 de janeiro. Cada empresa precisa solicitar registro para comercializar o produto.

A Eco Diagnóstica teve dois autotestes aprovados, um de swab (cotonete) nasal e outro por meio da amostra de saliva. A previsão é que eles estejam disponíveis em farmácias até dia 7 de março, custando de R$ 39 e R$ 69, e vendido de três formas: individual e também caixa contendo três e cinco testes.

Essa é a única empresa que possui o produto aprovado para ser realizado com a coleta de saliva. Ela não precisa da utilização do swab (cotonet), mas o kit possui esse item para transferir a quantidade certa da saliva do copo para o tubo de extração.

O outro produto registrado da mesma empresa é o Autoteste COVID Ag Detect, com amostra obtida por swab nasal não profundo.

Já a empresa Kovalent deve ter autotestes disponíveis entre 7 a 11 de março. À Folha de São Paulo, o sócio-proprietário da empresa, João Paulo Alves Janoni, disse que tem capacidade de produzir semanalmente 150 mil testes, e que os valores ainda não estão definidos, mas ficarão na faixa de R$ 55 a R$ 70 para o consumidor final.

O produto oferecido será o SGTi-flex COVID-19 Ag – AUTOTESTE, desenvolvido para uso de amostra de swab nasal não profundo. Inicialmente, a empresa oferecerá a caixa com apenas um produto.

Já a empresa CPMH (Comércio e Indústria de Produtos Médicos Hospitalares e Odontológicos), que teve o primeiro autoteste aprovado em 17 de janeiro, não forneceu informação sobre valores.

Autotestes

O Ministério da Saúde sinalizou que não pretende comprar autoteste para distribuir à população. Segundo a Anvisa, o produto poderá ser comprado em farmácias, drogarias e estabelecimentos de saúde que estejam licenciados junto à vigilância sanitária. Também será possível a comercialização online.

Foram 72 pedidos de registros feitos à agência reguladora, e quatro já foram aprovados. Cinco estão com a análise concluída e aguardam publicação no Diário Oficial da União e 13 foram reprovados. Os outros 28 aguardam análise ou estão em processo de análise, ou em exigência.

O autoteste permite que a pessoa realize todas as etapas da testagem, desde a coleta da amostra até a interpretação do resultado, sem a necessidade de auxílio profissional. Quem receber resultado positivo, deve procurar uma unidade de atendimento de saúde ou teleatendimento, para que um profissional de saúde confirme o diagnóstico e faça as orientações pertinentes

Conforme estabelecido em nota técnica do Ministério da Saúde, o autoteste passará a ser uma nova ferramenta de triagem do PNE (Plano Nacional de Expansão da Testagem) do Ministério da Saúde.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas