Avião que transportava Gabriel Diniz não podia realizar táxi aéreo

em alta
27.05.2019, 15:15:00
Atualizado: 27.05.2019, 21:56:30
(Foto: Anderson B. Alves/Jetfoto)

Avião que transportava Gabriel Diniz não podia realizar táxi aéreo

Avião caiu hoje em Sergipe, provocando a morte do cantor

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A aeronave que levava o cantor Gabriel Diniz, não tinha autorização para realizar o serviço de táxi aéreo. De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o equipamento tinha apenas autorização para instrução privada.

"Tem muito táxi clandestino sendo feito aqui no Brasil. São aeronaves com simplificação de processo de controle muito grande, como se fosse um carro privado, um tipo de 'táxi mais barato' que muitos artistas estão usando", disse uma fonte ligada à Anac que pediu para não ser identificada.

(Foto: Anderson B. Alves/Jetfoto)
(Foto: Anderson B. Alves/Jetfoto)

O avião caiu hoje em Sergipe, o que resultou na morte do cantor. A aeronave saia de Feira de Santana, onde o cantor fez seu último show, e tinha como destino o estado de Alagoas. 

Apesar dos bombeiros confirmarem que quatro pessoas estavam no avião, que pertencia ao Aeroclube de Alagoas, a aeronave poderia levar apenas três passageiros. O avião tem 45 anos - o seu ano de fabrição é 1974. 

Claudia Leitte já foi vítima
Em abril, o piloto de um avião que transportava a cantora Claudia Leitte foi detido por táxi aéreo irregular no momento em que a aeronave pousou. Esta foi a segunda vez que a artista foi vítima deste crime. Em 2018, um piloto foi preso pela mesma razão, mas, desta vez, antes de decolar voo com "Claudinha".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas