Azul reduz voos internacionais após epidemia de coronavírus

brasil
11.03.2020, 11:26:43
Atualizado: 11.03.2020, 11:30:31

Azul reduz voos internacionais após epidemia de coronavírus

Foram reduzidos voos que vão para Flórida e Porto

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A companhia aérea Azul reduziu as frequências de voos internacionais para a Flórida (EUA) e para Porto (Portugal), em meio aos desdobramentos da epidemia do coronavírus, disse nessa terça-feira (10) o presidente-executivo da companhia, John Rodgerson.

Embora não tenha citado números, Rodgerson afirmou que o ajuste tem impacto irrelevante nas operações da companhia, dado que apenas 12 dos mais de 900 voos diários operados pela Azul são internacionais.

"Estamos reduzindo frequências para a Flórida e para Porto", disse Rodgerson à Reuters, citando a queda da demanda por passagens e o aumento dos custos devido à alta do dólar.

De acordo com Rodgerson, as operações domésticas "estão controladas" e não houve reduções de frequências por conta do coronavírus. O executivo alertou, porém, que devido a questões sazonais e também à alta do dólar, a empresa pode reduzir algumas frequências domésticas no segundo trimestre.

"Nossa maior preocupação no momento é a alta do dólar", disse em entrevista por telefone.

Já o fundador, principal acionista e presidente do conselho de administração da Azul, David Neeleman, afirmou na conversa que o mercado de aviação tende a se estabilizar nos próximos meses à medida que as pessoas entendam melhor a dimensão dos riscos do coronavírus.

"As pessoas logo vão se dar conta de que a dengue é muito pior", disse Neeleman. "Eu peguei 10 voos nos últimos 12 dias, não tive problema nenhum", acrescentou, citando expectativa de que a disseminação da doença tenda a sumir por volta de maio, quando as temperaturas começarem a subir no Hemisfério Norte.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas