Bahia apresenta proposta de venda do Fazendão por R$ 22 milhões

e.c. bahia
05.07.2021, 20:25:00
Atualizado: 06.07.2021, 19:28:04
Fazendão foi utilizado pelo Bahia de 1979 até o início de 2020 (Foto: Mauro Akin Nassor/Arquivo CORREIO)

Bahia apresenta proposta de venda do Fazendão por R$ 22 milhões

Oferta foi discutida durante reunião do Conselho Deliberativo

Antigo centro de treinamentos do Bahia, o Fazendão está próximo de ter o seu futuro definido. Na noite desta segunda-feira (5), a diretoria apresentou ao Conselho Deliberativo do clube a proposta de venda do equipamento.

A atual e única proposta de compra foi feita pela construtora MRV, com valor de R$ 22 milhões pela área que fica no bairro de Itinga, em Lauro de Freitas. A oferta foi feita apenas pelo CT. Um terreno anexo, que foi adquirido pelo Bahia, continuará em posse do clube e poderá ser negociado se houver outro interessado.

De acordo com o apresentado pela diretoria, o pagamento será feito de forma parcelada. Nos primeiros 18 meses, o Bahia receberá parcelas mensais de cerca de R$ 489 mil. A partir do 18º mês, o valor das parcelas sobe para R$ 1,1 milhão.

"O antigo centro de treinamento é hoje obsoleto para o planejamento do clube, e daí a nossa convicção de que ele precisa ser vendido porque não faz sentido deixar um patrimônio imobiliário dentro da nossa casa sem uso estratégico", disse Guilherme Bellintani.

A oferta da MRV foi analisada pelo Conselho Fiscal e pela comissão de patrimônio do Bahia. Apesar de algumas ressalvas e pedidos de ajustes, a proposta recebeu parecer positivo. Na apresentação, foi levado em consideração o custo para a manutenção do Fazendão, que atualmente gira em torno de R$ 54 mil por mês.  

O próximo passo é levar a proposta para decisão final dos sócios em assembleia, marcada para o próximo dia 24. A diretoria destacou que, até o final do processo de venda, o tricolor pode ouvir novos interessados e eventuais propostas pela aquisição do antigo centro de treinamentos.

A ideia dos dirigentes é que o valor arrecadado com a venda do Fazendão seja usado para pagar dívidas trabalhistas. "O pensamento da diretoria executiva é para a utilização integral desse recurso para a quitação de dívidas trabalhistas do clube, que hoje têm um custo mensal elevado", argumentou o vice-presidente Vitor Ferraz.

De acordo com o divulgado pelo Bahia, o Fazendão tem área superficial de 125.463 m² e a área anexa, 3.200,50 m². O clube utilizava o CT desde 1979, quando se mudou da Fazendinha, no Costa Azul.

No início de 2020, o Bahia deixou o Fazendão e se mudou para a Cidade Tricolor, cujo terreno fica em Camaçari e Dias D'Ávila, na região metropolitana de Salvador.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas