Bahia cai diante do Ceará e sofre primeira derrota no Brasileirão

e.c. bahia
23.08.2020, 21:55:00
Atualizado: 23.08.2020, 23:16:12
Tricolor voltou a sofrer com a bola aérea e foi derrotado pelo Ceará, no Castelão (Foto: Bruno Queiroz/EC Bahia)

Bahia cai diante do Ceará e sofre primeira derrota no Brasileirão

Foi a terceira derrota do tricolor para o adversário em 2020

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Na reedição da final da Copa do Nordeste, o Bahia voltou a cair diante do Ceará. Na noite deste domingo (23), o tricolor foi derrotado pelo alvinegro por 2x0, no estádio Castelão, em Fortaleza, e conheceu o primeiro revés no Campeonato Brasileiro.

Assim como nos jogos em Pituaçu, pelo Nordestão, quando perdeu por 3x1 e 1x0, Cléber e Mateus Gonçalves marcaram os gols do Ceará, que alcançou a primeira vitória na competição.

Com o resultado, o Bahia caiu para a oitava colocação do Brasileirão, com sete pontos em quatro jogos. Já o Ceará chegou aos quatro pontos em cinco jogos e segue na zona de rebaixamento, na vice-lanterna.

O jogo
A ideia de Roger Machado era manter contra o Ceará o mesmo time que empatou por 1x1 com o São Paulo, na rodada anterior. Mas antes do início do jogo, o treinador precisou fazer uma mudança. João Pedro sentiu o joelho no aquecimento e cedeu a vaga para Nino Paraíba. 

Quando a bola rolou, o Bahia parecia mais solto em campo, tentando impor o seu ritmo e pressionar o Ceará no campo de defesa. 

As principais jogadas do tricolor saíram pelo lado esquerdo, nas trocas de passes entre Élber e Rodriguinho. Mas na primeira chegada do Ceará no ataque, o Esquadrão sentiu o baque. 

Aos 10 minutos, Vinícius cobrou escanteio na área. Gabriel Lacerda ajeitou de cabeça, Gilberto falhou na cobertura e Cléber, sozinho, testou para o fundo das redes.

Depois de sofrer o gol, o Bahia foi obrigado a sair ainda mais para o jogo. O Esquadrão, no entanto, apresentava muita dificuldade para construir as jogadas pelo meio-campo, abusando nos erros de passe.

Quando acertou a jogada, Rodriguinho escapou pela esquerda e cruzou para Gilberto, só que Samuel Xavier se antecipou e mandou para escanteio, afastando o perigo da defesa cearense. 

Segundo tempo
Para tentar alterar o paranoma e qualificar a saída de bola tricolor, Roger Machado voltou para o segundo tempo com Daniel na vaga de Gregore.  

Com apenas três minutos de bola rolando, a galera azul, vermelha e branca ficou na bronca. Na jogada de bola aérea, Luiz Otávio atingiu Élber dentro da área. O atacante ficou pedindo pênalti. O árbitro chegou a parar o lance e deu a impressão de que consultaria o árbitro de vídeo, mas mandou seguir. 

Com mais posse de bola, o Bahia trabalhava as jogadas na zona intermediária cearense, porém continuava com dificuldade para entrar na área. O jeito foi arriscar de longe. 

Aos 9 minutos, Zeca chutou forte e a bola passou tirando tinta. Três minutos depois, foi a vez de Rodriguinho soltar a bomba e obrigar Fernando Prass a fazer grande defesa e salvar o Ceará. 

Com o Bahia presente no seu campo de defesa, o Ceará buscava a chance de encaixar o contra-ataque. Quando teve a oportunidade, a bola sobrou para Rafael Sóbis, que chutou forte e levou perigo ao goleiro Anderson.

Roger então voltou a mexer no ataque. Gilberto e Élber saíram para as entradas de Clayson e Fernandão. E foi o camisa 20 quem quase empatou o jogo. Na cobrança de escanteio, ele cabeceou forte, a bola bateu em Fabinho e pegou no lado de fora da rede.

A resposta do Ceará também veio na bola parada. Na cobrança de Vinícius, o zagueiro Gabriel Lacerda tentou finalizar duas vezes, Anderson cresceu sobre o jogador alvinegro e conseguiu mandar para escanteio.

Sem conseguir ampliar o marcador na bola aérea, o Ceará voltou a apostar nos contra-ataques. Deu certo. Aos 29 minutos, Fernando Sobral aproveitou o vacilo de Fernandão, os espaços dados pelo Bahia e descolou passe longo para Mateus Gonçalves. O atacante partiu em velocidade, ganhou da marcação, driblou Anderson e tocou para o fundo das redes, ampliando o placar em favor do Ceará.

O gol deixou o time da casa ainda mais à vontade. O terceiro quase saiu aos 38 minutos. Rafael Sóbis fez a jogada dentro da área e chutou forte. A bola explodiu na trave.

Roger então colocou os atacantes Alesson e Saldanha para tentar uma reação nos minutos finais. Saldanha até conseguiu criar boa chance, mandou chute forte que Fernando Prass se esticou todo para fazer a defesa. Mas foi só. 

Sem forças para alterar o panorama da partida, restou ao Bahia lamentar a derrota fora de casa. 

O próximo compromisso do time no Brasileirão será no próximo sábado (29), quando recebe o Palmeiras, às 19h, no estádio de Pituaçu. Já o Ceará encara o Vitória, nesta quarta-feira (26), em jogo de volta pela Copa do Brasil. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas