Bairros registram em 72h metade da chuva prevista para março inteiro

salvador
03.03.2022, 16:49:00
Cidade teve diversos pontos de alagamento (Marina Silva/CORREIO)

Bairros registram em 72h metade da chuva prevista para março inteiro

Cidade entrou em alerta de deslizamento de terra e registrou 24 casos

A média do volume de chuva para o mês de março, em Salvador, é de 157 mm. Porém, em três dias, alguns bairros já superaram mais da metade desse valor e mais chuvas são aguardadas nas próximas semanas. O mau tempo surpreendeu os soteropolitanos e foi tanta água que a cidade entrou em estado de alerta de deslizamento. Ruas ficaram alagadas, árvores caíram e moradores precisaram usar baldes para retirar água de dentro de casa.

CONHEÇA O CORREIO AFRO

Em Mirante de Periperi, foram registrados 92,8 mm. Outras regiões como Praia Grande (87,6mm), Fazenda Coutos (77,2mm) e Periperi (76,8mm) também tiveram volumes expressivos. As informações são do Centro de Monitoramento de Alerta e Alarme da Defesa Civil de Salvador (Cemadec) e apontam que a chuva foi mais intensa no Subúrbio Ferroviário. A previsão é de que o mau tempo persista até domingo (6).

Leia também
Cerca de 160 raios caíram em Salvador em 12h

O pedreiro Joel Silva, 47 anos, mora em Fazenda Coutos e contou que acordou com a água invadindo a casa. “Levantei com o barulho da chuva no telhado, quando coloquei o pé no chão já tinha água. Conseguimos correr e salvar os móveis, mas foi uma madrugada de sono perdido e trabalhando para não perder o pouco que a gente tem”, contou.

(Foto: Marina Silva/CORREIO)

Outros moradores não tiveram a mesma sorte. Na Cidade Nova, pessoas usaram baldes para retirar a água que invadiu as casas. Na Baixa do Fiscal, Ribeira, Boa Viagem Paripe e Base Naval houve pontos de alagamento. Alguns semáforos do bairro do Comércio apresentaram falhas no início da manhã depois o temporal que atingiu a região.

A Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) informou que a situação foi normalizada ainda durante a manhã. O órgão registrou também pontos de alagamentos e árvores caídas, mas não houve acidentes envolvendo veículos. Nesta quinta-feira (3), a Defesa Civil de Salvador (Codesal) tinha registrado 139 ocorrências, até 16h30. O superintendente da pasta, Sosthenes Macedo, pediu que em casos de emergência a população entre em contato através do 199. As equipes estão de plantão 24h.

“A prefeitura vem realizado durante todo o ano uma série de programas de prevenção, capacitando moradores das áreas de risco, onde a gente constitui uma série de voluntários que reforçam o time da Codesal para nos períodos de chuva puderem dar respostas com maior rapidez de informação aos demais moradores e vizinhos. Fazemos a capacitação de crianças e jovens, temos o programa de Defesa Civil nas escolas, além da construção de geomantas, mais de 200 instaladas, e contenção das encostas, mais 100”, afirmou.

Ele citou ainda um decreto que permite a ampliação e o reforço das equipes do município vinculadas ao sistema de proteção e defesa civil durante os períodos de chuva. 

Estragos 
Uma das principais preocupações é com deslizamentos de terra. Um alerta foi emitido pela Codesal de que havia a possibilidade desses eventos acontecerem. Até 16h30, eram 24 ocorrências desse tipo, todas sem gravidade e nenhuma das sirenes instaladas nas áreas de maior risco foi acionada.

Uma árvore tombou sobre a rede elétrica e deixou algumas regiões da Paralela sem luz. Houve casos de falta de energia também em Mussurunga, Costa Azul e Federação. Em nota, a Coelba disse que aumentou o número de trabalhadores.

“A Neoenergia Coelba esclarece que reforçou a quantidade de equipes em campo para atender as ocorrências provocadas pela forte chuva que atinge Salvador nesta quinta-feira. Nesta madrugada, a distribuidora normalizou o fornecimento de energia para parte do bairro Paralela, que foi afetado após uma árvore cair sobre a rede elétrica devido aos fortes ventos”, diz a nota.

A empresa afirmou também que estava trabalhando para resolver a interrupção no abastecimento em Mussurunga e disse que não registrou ocorrências no Costa Azul e na Federação, mas pediu que os moradores entrassem em contato para informar do ocorrido.

A vice-prefeita e secretária de Gestão, Ana Paula Matos, pediu a colaboração da população. “A equipe da Defesa Civil já está nas ruas, mas é importante em qualquer situação de risco ligar para o 199. Nosso trabalho é te proteger, mas precisamos que você também faça a sua parte”, frisou.

Até as 16h30, lideram a lista de ocorrência ameaça de deslizamentos (35 casos), avaliação de imóvel alagado (26), deslizamento de terra (24), ameaça de desabamento (20), orientação técnica (11), infiltração (7), árvore ameaçando cair (4) e desabamento parcial (3). Somadas às solicitações menores, eram 139 registros.

De acordo com a Codesal e com o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), o alerta de deslizamentos seguirá pelos próximos dias. A Cemaden ressalta que Salvador apresenta, nesta quinta, um nível alto de risco de deslizamento de terras e moderado para eventos hidrológicos. 

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas