Bancos adotam horário especial para idosos, gestantes e portadores de deficiências

salvador
27.03.2020, 15:35:00
Atualizado: 27.03.2020, 15:38:05
(Arisson Marinho/CORREIO)

Bancos adotam horário especial para idosos, gestantes e portadores de deficiências

De 9h às 10h também haverá pagamento de aposentados e pensionistas do INSS

Em tempos de pandemia do novo coronavírus, a ida de aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) aos bancos precisou ser modificada para evitar aglomerações e, consequentemente, contaminação em massa dentro das agências.

Para evitar que os idosos, grupo de risco em caso de infecção pela Covid-19, fiquem muito expostos, o Banco Central determinou que as agências bancárias adotassem um esquema especial de atendimento presencial. As portas abrirão uma hora mais cedo. Das 9h às 10h, serão atendidos idosos, além de gestantes e pessoas portadoras de deficiência. O horário de atendimento para o púbico geral permanece das 10h às 16h. 

Apesar do anúncio da medida, o presidente do Sindicato dos Bancários da Bahia, Augusto Vasconcelos, informou que cada instituição financeira irá determinar o seu horário de funcionamento, respeitando a orientação do BC.

“Isso tudo é fruto de uma reunião de um comitê de crise que foi formado com a Febraban (Federação Brasileira de Bancos), onde nós estipulamos uma antecipação desses atendimentos para idosos, no sentido de diminuir a possibilidade de contaminação desses clientes. Os horários dependem do funcionamento das agências por municípios e por bancos, não é algo uniformizado como antes. O Banco Central editou uma resolução que estabeleceu que cada agência possa determinar o seu horário de funcionamento, sem precisar aquela rigidez que existia no passado. É um entendimento mais flexível”, disse o presidente.

(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Determinação
A decisão do Banco Central de recomendar a mudança foi tomada no último dia 20 de março e prevê que os próprios bancos tornem flexível o acesso de clientes às agências, visando o combate ao coronavírus. De acordo com a nota publicada no site oficial da entidade, “as instituições do sistema financeiro devem assegurar a prestação dos serviços financeiros essenciais à população enquanto perdurar o risco à saúde pública. Para isso, agências precisaram ajustar seus horários de atendimento ao público de forma presencial”, diz um trecho da nota.  

O BC recomendou ainda que os clientes de produtos e serviços bancários utilizem, sempre que possível, os canais digitais, como internet banking e aplicativos para celular. No entanto, somente se necessário, e em casos de pessoas que não têm acesso aos canais eletrônicos ou têm dificuldade em acessá-los, deve-se recorrer aos caixas eletrônicos das agências para realizar transações essenciais, como saques em dinheiro, pagamento de contas ou transferências.

O plano de contingenciamento é um trabalho em conjunto do BC com as instituições financeiras, sindicatos de bancários e federação de bancos, para facilitar que todos os serviços essenciais sejam prestados aos clientes. O Banco Central determinou também que as instituições informassem aos clientes sobre os novos horários de funcionamento de suas agências.

Agências lotadas
Como todo mundo sabe, final de mês combina com pagamento de benefícios de aposentados. O CORREIO percorreu algumas agências da cidade para verificar o funcionamento delas e o que os clientes do grupo de risco acharam da mudança. Com filas formadas do lado de fora e avisos colados nas portas de vidro, os bancos atenderam à recomendação de evitar aglomerações dentro das agências, colocando funcionários para organizar as filas com espaçamento de 1 a 2 metros de cada cliente.

Morador do Bairro da Paz, o aposentado Gilberto Assunção, de 61 anos, foi até a uma agência da Caixa, na Avenida Dorival Caymmi, em Itapuã, para sacar seu benefício. Ele afirmou que soube da antecipação de abertura das agências para os idosos e não pensou duas vezes em ir logo cedo ao banco.

“Soube que iria abrir mais cedo e vim logo para garantir. Essa medida é essencial para nós, idosos, que precisamos vir aos bancos. Eu mesmo não sei mexer com esse negócio de aplicativo, site. Resolvo tudo presencialmente, mais cedo que as outras pessoas, pois facilita a nossa vida e depois é só voltar para casa e ficar protegido novamente”, disse.

Gilberto foi ao banco retirar seu benefício, mas afirmou que voltaria para casa imediatamente para se isolar
(Foto: Eduardo Dias/CORREIO)

Já no Bradesco, também em Itapuã, o aposentado Carlos Roberto de Almeida, 68, disse que, apesar de saber que está no grupo de risco da Covid-19, não dispensa a ida ao banco para sacar seu benefício, por achar mais seguro e por não ter acesso aos meios eletrônicos do banco.

“Eu vim sacar meu dinheiro, mas também vim bloquear um cartão que perdi. E eu prefiro fazer isso pessoalmente. Essa medida de antecipar o funcionamento para nós é muito boa, nos beneficia bastante. É importante que se faça isso, mesmo com todos os cuidados que estamos tomando. Mas tenho me cuidado, daqui é direto para casa. Não saio mais”, afirmou o aposentado.

Novos horários
Cumprindo a orientação do Banco Central, a Febraban alegou que informou aos seus bancos associados para manter as agências bancárias abertas em horários diferenciados nos próximos dias. Com isso, em regime contingenciado, ou seja, com limite de pessoas no interior das agências e apenas com transações essenciais, as agências realizarão atendimento ao público pelo período mínimo das 10ho às 14 h, enquanto for necessário para atender às necessidades de combate à disseminação do coronavírus.

Os clientes estão sendo informados dos novos horários por meio de comunicado na própria agência e pelos canais de comunicação de cada banco.

Home office, higienização e outros serviços bancários disponíveis
Ainda conforme o Sindicato dos Bancários na Bahia, atualmente existem cerca de 500 mil bancários no Brasil e metade deles se encaixam no grupo de risco do novo coronavírus, como idosos, hipertensos, diabéticos, cardiopatas e gestantes. Todos foram afastados das atividades presenciais e passaram a atuar remotamente, em regime de home office.

Devido à crise que se formou por conta da pandemia, o sindicato afirmou que conseguiu, através de acordo fechado com os bancos em um Comitê de Crise Nacional, assegurar a suspensão de demissões durante o período da pandemia, além de garantir que os bancos ampliassem os investimentos em higienização das agências e disponibilização de máscaras e álcool gel para cada funcionário.

“São debatidos vários temas, como atender de maneira segura, garantindo a distância mínima ente os cientes de 1 a 2 metros, contingenciamento de atendimentos. Estamos cobrando, inclusive, um reforço para que os bancos façam propagandas estimulando o uso dessas ferramentas”, completou o presidente da categoria.

Confira a lista de serviços financeiros acessíveis pela internet: 

Internet Banking, aplicativos e serviços digitais
​Quem não se acostumou com o internet banking ou com os aplicativos em dispositivos móveis e tablets, tem motivos a mais para utilizar serviços financeiros digitais. Enquanto durarem as medidas de combate à Covid-19 (causada pelo novo coronavírus), tendo em vista os horários especiais de atendimento em agências e as limitações do atendimento por telefone, busque serviços e operações nos canais eletrônicos dos bancos e demais instituições financeiras.

Mensagens diretas (chat)
Para esclarecer uma dúvida ou pedir informações, muitos bancos têm assistentes virtuais (chatbots), inclusive em aplicativos de troca de mensagens, como WhatsApp, e em redes sociais. O Banco Central conta com o Din, assistente virtual disponível no site do BC ou na mensagem direta do Twitter.

Transferências eletrônicas
Se puder, evite ir às agências bancárias para movimentar dinheiro. A transferência entre contas do mesmo banco ou a TED/DOC permitem que você faça essas transações sem sair de casa. Verifique se sua instituição oferece esse serviço.

Pagamentos
Para pagamentos em geral, use meios eletrônicos sempre que possível, evitando manusear cédulas e moedas. Prefira pagar os boletos por meio da leitura de código de barras com a câmera do celular. É seguro e prático, além de evitar ficar exposto ao dirigir-se ao caixa da agência bancária. Nas operações com cartão, prefira as máquinas que aceitam pagamento por aproximação. Assim, você tem menos contato com os aparelhos.

Limite de transferências
Pode ser que você não esteja autorizado a fazer determinadas transações pela internet pois excedem os limites estabelecidos. Esses limites existem para proteger o correntista de transferências sob coação de criminosos. Alguns bancos permitem o aumento desse limite por meio do aplicativo. Em alguns casos, pode ser necessário contatar seu gerente por telefone. Verifique com seu banco.

Contratação de empréstimos e financiamentos
Muitos sites e aplicativos têm funcionalidades específicas para contratar empréstimos e financiamentos pela internet. Nelas você também pode tentar renegociar dívidas, sem necessidade de comparecer à agência. Verifique se eu banco oferece os serviços de renegociação e as condições das novas operações.

*Com orientação da subeditora Clarissa Pacheco

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas