Bandidos serão identificados por câmeras de reconhecimento facial em Salvador

salvador
18.12.2018, 11:55:00
Atualizado: 18.12.2018, 18:25:57
(Foto: Divulgação)

Bandidos serão identificados por câmeras de reconhecimento facial em Salvador

Rodoviária, metrô, ferry-boat, Fonte Nova e aeroporto começaram a usar recurso

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um homem caminhava pela Rodoviária de Salvador falando ao celular quando foi abordado e preso por dois policiais militares. O suspeito estava sendo procurado pela justiça e foi localizado depois de aparecer em uma das câmeras do terminal. Enquanto isso, do outro lado da tela, um grupo de jornalistas acompanhava a cena ao lado do governador, Rui Costa, e do secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa.

Toda a cena foi uma simulação, que aconteceu nesta terça-feira (18), para demonstrar como vai funcionar o novo programa de inteligência da Bahia.

Batizado de Vídeo-Polícia – Mais Inteligência na Segurança, o projeto vai usar as câmeras de segurança das cidades para fazer o reconhecimento facial das pessoas que estão sendo procuradas e das placas dos carros com restrição de roubo. A apresentação aconteceu no Centro de Operação e Inteligência da SSP, no Centro Administrativo da Bahia (CAB). 

Na prática, o novo sistema terá capacidade de fazer a leitura facial de todas as pessoas que passarem pelas câmeras, cruzando as imagens com o banco de dados para ver se o rosto é um dos que está sendo procurado. Tudo de forma automática. A capacidade é para operar 2 mil câmeras ao mesmo tempo e o investimento é de R$ 18 milhões. 

Antes, era preciso informar para os policiais a placa do veículo com restrição de roubo ou a foto e o nome de quem estava sendo procurado para que eles buscassem durante as rondas.

Agora, o sistema avisa automaticamente ao Centro de Monitoramento Operacional da SSP quando um carro roubado ou um bandido aparecem na tela. Em seguida, a viatura mais próxima é acionada e encaminhada para o local.

Durante a apresentação do sistema, na manhã desta terça-feira (18), os policiais fizeram uma demonstração simulada do serviço com a prisão de um homem na Rodoviária e a abordagem de um motorista. 

Rui Costa informou que, até o momento, o banco de dados tem 65 mil rostos e placas cadastrados: são pessoas que estão sendo procuradas e veículos com restrição de roubo, mas que a ideia é ampliar esse número incluindo também as imagens das pessoas desaparecidas. 

O projeto foi inspirado em países como Reino Unido, França, China e Isarel. O sistema é pioneiro no Brasil e a Bahia será o primeiro estado com esse serviço. Em Salvador, ele já está em funcionamento na Rodoviária, nas estações de metrô, ferry-boat, Arena Fonte Nova e aeroporto. 

"Após esse projeto piloto, em janeiro estaremos publicando uma licitação para estender esse serviço para todo o estado. Inicialmente, vamos implantá-lo em todas as unidades de serviço público do Estado, ou seja, nas escolas, SACs e unidades de saúde, e depois disponibilizar para todas as prefeituras e para a iniciativa privada. É fundamental a participação dos empresários e comerciantes", afirmou o governador.

Ele disse que está conversando com donos de empresas para ampliar essa checagem para as câmeras de shoppings e lojas. A empresa que será contratada através da licitação Rede Governo de Informação, que será lançada em janeiro, deverá fazer a ampliação do projeto piloto para o interior. Dois grupos interessados no processo, um chinês e outro espanhol, participaram da apresentação desta terça.

O titular da SSP, secretário Maurício Barbosa, informou que mais de 310 câmeras serão instaladas em Salvador para fazer esse serviço - com estes novos equipamentos, a capital e a Região Metropolitana terão cerca de mil equipamentos.

"Nós vamos melhorar a atuação da polícia, a velocidade de ação, diminuindo a necessidade de efetivo policial nesse bastidor (centro de operações). O que a gente quer é levar o policial para atuação na rua, fazer com que a atuação da polícia seja feita de forma mais rápida e inteligente", afirmou Barbosa. 

Agora, aquela placa que diz 'Sorria, você está sendo filmado' terá que acrescentar os termos monitorado, checado e, quem sabe, procurado.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas