Big Brother Cajazeiras elege vencedora e mostra lifestyle no bairro

salvador
24.04.2022, 18:33:00
Big Brother Cajazeiras anuncia vencedora em evento em shopping (Paula Fróes/CORREIO)

Big Brother Cajazeiras elege vencedora e mostra lifestyle no bairro

Evento de encerramento mostrou crescimento do reality criado para moradores do bairro

Entre os participantes e telespectadores, todos sabem que Yuri Santos é  “Boninho” e Wendell Muniz, “Bonão”. Os dois estão à frente do Big Brother Cajazeiras. Na tarde do último domingo (24), eles se alternavam para finalizar a 2ª edição do programa. Foi “Bonão”, responsável pelos textos eliminatórios, quem anunciou a ganhadora: Quel Angel (Raquel Cardoso), 25 anos, que caiu no chão, emocionada, ao ouvir o resultado.

A votação transcorreu nas 24 horas anteriores ao anúncio. Foram 2.684 votos, computados em uma votação no Instagram do programa. Deles, 1.056 escolheram Quel, nascida e criada no bairro de Cajazeiras.

Influenciadora digital e maquiadora, ela disse que pagaria dívidas e compraria uma máquina de lavar com o prêmio de R$ 1,5 mil - na primeira edição, a premiação foi de R$ 300, o que sugere a popularização do reality, inspirado no Big Brother Brasil 22, com final marcada para a próxima terça-feira (26). 

Quel Angel se emociona ao vencer reality (Foto: Paula Fróes/CORREIO)

O prêmio em dinheiro é acrescido de uma viagem com acompanhante para Morro de São Paulo, para onde Quel viajará com o noivo, que esteve no shopping na companhia da filha do casal, Lana - no instagram da mãe (@quel_angeel), a menina de três anos aparece e é conhecida como “Debochada”.

“Eu sou tranquila, mas se tinha algo que me incomodava, eu falava, para não virar planta [quem não participa ativamente de um reality show]”, disse Quel, vestida de roxo e com coroa de flores artificiais na testa.

O BBC, abreviação do Big Brother Cajazeiras, é formado somente por moradores do bairro - com nove cajazeiras conhecidas. Na praça onde o encerramento da 2ª edição do reality aconteceu, amigas de Quel gritavam “Uh é campeã”. Pouco antes, a torcida dos três finalistas davam suas apostas e se espalhavam pelas mesas.

Moradores se dividem para torcer por cajazeirenses 

Nas quatro lanchonetes abertas, as funcionárias -  todas mulheres - aproveitavam o marasmo para assistir à final do reality, enquanto esperavam os clientes. “Estou torcendo por Raquel, que já conhecia. Ela mora perto de mim, é blogueira”, afirmou Ingrid de Andrade, 25, funcionária de um dos stands abertos.  

Desde o início da votação pela escolha do vencedor, às 14h20 do dia anterior, Daiane Casaes, 28, criou um mutirão pela amiga Raquel. "Amiga que é amiga faz mutirão. Comecei a puxar lista de transmissão, foi mensagem, fizemos de tudo", contou a influenciadora digital. 

Torcida de Gabriele levou faixar para shopping (Foto: Paula Fróes/CORREIO)

Havia até pessoas com faixas de torcida. “Oh pra ali, parece até protesto”, brincou Wendell, o Bonão, participante da 1ª edição do reality que foi convidado por Yuri, o Boninho, a integrar a produção do programa. Wendell, 23, se referia aos familiares e amigos de Gabrielly Adelino, 21, que carregavam cartolinas com frases escritas à mão. 

“Moro na frente da casa dela. Somos todos cajazeirenses, tive que vir para apoiar”, afirmou Cristina Ramos, 52, vizinha de Gabrielly, empregada doméstica e cuidadora. 

O bairro de Cajazeiras, em Salvador, é grande a ponto de moradores como Cristina se autodenominarem “cajazeirenses” e se referirem à região como uma cidade. Faltava, portanto, um reality show que mostrasse o lifestyle local, com direito a intrigas, plantas, vilões, prints vazados, mutirões por votos e chororô. 

“Mais tarde é no Boteco do Jhony, para chorar de alegria ou tristeza”, brincou Gabrielly, antes de receber o resultado - com 868 votos recebidos, ela ficou em segundo lugar.

O terceiro lugar ficou para Marlisson Piropo, 22, dançarino que chegou a ser apontado como o “planta” da casa. “Sou mais tranquilo, joguei com o coração. Fui julgado como planta, mas aqui estou, na final”, brincou. Segundo e terceiro lugar foram premiados com R$ 250, cada.

BBC: a porta de entrada para o BBB

A maioria dos ex-participantes do BBC, inclusive a vencedora da 2ª edição, compartilham um sonho em comum: participar do Big Brother Brasil. O BBC é, afinal, uma réplica adaptada do reality televisionado pela TV Globo.

Por exemplo: se no BBB, há as alas do camarote (famosos) e da pipoca (anônimos), o BCC aposta na versão Rótula da Feirinha X Pronaica. Quel e Gabrielly são da Pronaica, mas não se conheciam até o reality começar, e Marlisson, da Feirinha. 

“A feirinha seria um lugar mais popular onde tem feira, comércio mais aberto, e a Pronaica, uma área reformada [menção à Arena Pronaica, inaugurada em outubro de 2020 em Cajazeiras 10]”, explicou Wendell, que além de um dos produtores do BBC é professor de dança e reconhecido no bairro.

A ideia de criar um Big Brother só para Cajazeiras foi de Yuri Santos, 29, outra cria de Cajazeiras. “Algumas páginas na internet estavam fazendo uma brincadeira de perguntar às pessoas quem estariam no BBB das cidades delas. Como o BBB estava no hype, entrei na brincadeira e fiz uma lista, já que Cajazeiras é quase uma cidade”, lembrou Yuri, sobre o início do programa. 

Inspirado pela brincadeira, ele lançou uma versão de participantes para Cajazeiras que viralizou em Salvador. “Tínhamos R$ 200 em caixa, mas na base da parceria, decidimos fazer”, contou.

Diferentemente do BBB, o BBC não impõe um confinamento numa casa. Para isso, seria preciso verbas que os produtores ainda não possuem. O programa ocorre a partir de um grupo de mensagens e o desenrolar dos acontecimentos é transmitido na página @cajazeirasdadepressão no Instagram, onde as votações eram definidas.

O fato de o BBC ser online não impede a realização de provas - também há escolha dos líderes e anjos. Em uma prova de resistência na 2ª edição, os participantes eram obrigados a responder, com no máximo um minuto de intervalo, a mensagens enviadas pelos produtores.

Depois de 18 horas de prova, Gabrielly, que respondeu a todas as figurinhas enviadas imediatamente, foi escolhida a líder - posto que ela ocupou seis vezes.

“Acho que eu seria tipo um PA no BBB [Paulo André, do BBB22], que se empenhada nas provas e quando ele quer”, afirmou.

No evento de encerramento, uma cozinheira local contribuiu com a distribuição de salgadinhos e outra, com um bolo. As redes sociais delas foram divulgadas na cerimônia, que envolveu nove pessoas na produção. O BBC é, também, uma tentativa de movimentar a economia local e fortalecerem influenciadores digitais do bairro. 

A vencedora da 1ª edição do BBC, Scarlett Almeida, 24, esteve presente no evento. Ela é influenciadora digital e designer de unhas. Depois de participar do reality, tem conseguido novas parcerias com empreendedores do bairro e de outras regiões da cidade.

"Nessa questão de parcerias, fez muitas diferença, mudou muito, me ajudou a engajar", afirmou Scarlett, que sonha em participar do BBB. 

Depois do anúncio dos vencedores, todos se reuniram para fotos - inclusive aqueles que protagonizaram discussões ao longo da edição, marcada por vazamentos de conversas e rachas. À noite, eles se reuniriam numa chácara próxima dali. Amigos, amigos, Big Brother à parte. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas