Bolsas da Europa fecham em queda com novas restrições por covid-19

coronavírus
14.08.2020, 15:50:00
Atualizado: 14.08.2020, 15:51:25
(Agência Brasil)

Bolsas da Europa fecham em queda com novas restrições por covid-19

Os índices de infecções voltaram a exibir trajetória ascendente nas últimas semanas em vários países europeus que haviam controlado a disseminação do vírus

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

As bolsas da Europa fecharam em queda nesta sexta-feira (14), encerrando no vermelho uma semana marcada por ganhos. Temores a respeito da cada vez mais real ameaça de uma segunda onda de casos de coronavírus no continente levaram à imposição de novas restrições de viagens e deixaram investidores apreensivos. O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou em baixa de 1,20%, 368,07 pontos, mas subiu 1,24% em relação à sexta-feira passada.

Em Londres, o FTSE 100 recuou 1,55%, a 6.090,04 pontos, com ganho semanal de 0,96%. Os negócios por lá ficaram reprimidos depois que o Reino Unido anunciou exigência de quarentena de 14 dias para todos os viajantes vindos da França, onde o avanço da covid-19 levou o governo a declarar as regiões de Paris e Marselha como "zona vermelhas" de contaminação.

Com isso, em Paris, o CAC 40 cedeu 1,58%, a 12.901,34 pontos, embora tenha subido 1,50% no acumulado das últimas cinco sessões

Os índices de infecções voltaram a exibir trajetória ascendente nas últimas semanas em vários países europeus que haviam controlado a disseminação do vírus, entre eles Alemanha e Espanha.

"Apesar de continuarmos construtivos em relação à economia da zona do euro, esses desdobramentos são um lembrete preocupante de que mesmo os países que controlaram suas curvas epidemiológica enfrentam uma recuperação desigual e incerta à frente", analisa o BBH.

Confirmando o histórico impacto da pandemia no bloco, a Eurostat, agência de estatísticas da União Europeia, informou que o Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro encolheu 12,1% no segundo trimestre de 2020, em comparação com os três meses anteriores.

Em Frankfurt, o DAX se desvalorizou 0,71%, a 12.901,34 pontos, em nível 1,79% maior do que na última semana. O papel da Lufthansa caiu 1,78%, acompanhando a perda generalizada do setor aéreo em todo o continente.

Nas demais praças, o FTSE MIB caiu 1,13%, a 20.028,11 pontos, em avanço de 2,62% na semana.

Nos mercados ibéricos, o IBEX 35, de Madri, recuou 1,33% nesta sexta, mas subiu 2,93% nos últimos sete dias, a 7.154,30 pontos.

Em Lisboa, o PSI 20 diminuiu 0,84%, a 4.441,52 pontos - ganho semanal de 1,70%.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas