Bolsonaro 'late' em discurso para parabenizar cachorro Sansão: 'Au au'

em alta
29.09.2020, 19:34:00
Atualizado: 29.09.2020, 19:38:49
(Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Bolsonaro 'late' em discurso para parabenizar cachorro Sansão: 'Au au'

Em cerimônia no Palácio do Planalto, presidente sancionou proposta que estabelece pena de 2 a 5 anos por maus-tratos a cães e gatos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) decidiu inovar durante discurso feito em cerimônia em que sancionou um projeto de lei contra maus-tratos em animais, a Lei Sansão, nesta terça-feira (29). A lei estabelece pena de dois a cinco anos de reclusão para quem praticar ato de abuso ou maus-tratos, ferir ou mutilar cães ou gatos.

Para se comunicar com um cachorro que estava presente no local, o ex-capitão fez “au au”. “Eu acho que todos tomaram conhecimento, teve uma conscientização sobre o assunto muito grande e o que nós queremos, no fundo, não é punir, mas fazer com que ninguém cometa maus-tratos em cima de animais. Então parabéns para vocês, não sei se o Sansão vai entender aqui, né: ‘Au au’. Quer dizer parabéns, Sansão”, disse o presidente.

Ele referiu-se ao Pitbull Sansão, presente na solenidade, animal que ficou conhecido após ter suas patas traseiras decepadas em Confins, Minas Gerais. O cachorro teve que andar de cadeira de rodas adaptada após ter as patas decepadas.

O presidente ainda afirmou que no Exército é muito comum a presença de cães. “Esses cães eram muito bem vindos em nosso meio, nos ajudavam até no tocante à segurança”, disse ainda. Bolsonaro ainda tentou assinar a sanção segurando um cachorro, mas se enrolou.

Até a última atualização desta reportagem, a sanção não havia sido publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU). O Palácio do Planalto informou que não houve vetos à proposta original.

Lei Sansão
O projeto de lei 1095/2019, apresentado pelo deputado federal Fred Costa (Patriota/MG) e relatado pelo deputado Celso Sabino (PSDB-PA), foi aprovado na Câmara no final de 2019 e referendado no Senado em setembro.

Com o projeto, a Lei nº 9.605 foi alterada com o objetivo de aumentar penas relativas aos crimes de maus-tratos a cães e gatos. A prisão passou a ser de 3 a 5 anos, contra o período de 3 meses a 1 ano previsto anteriormente.

Bolsonaro chegou a questionar alguns dos termos da lei e prometeu uma enquete no Facebook, mas foi convencido pela primeira-dama Michelle Bolsonaro a sancioná-la sem alterações.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas