Bom sinal

farol econômico
26.02.2018, 02:28:00

Bom sinal

Por Donaldson Gomes

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A movimentação de navios no porto de Aratu-Candeias em 2017 deu bom sinal em relação a atual safra de grãos na região Oeste da Bahia. No ano passado, o porto registrou uma alta de quase 6% na atracação de navios cargueiros, muito em função do mercado de importação de fertilizantes. O movimento deste tipo de produto apresentou uma alta de 28%, na comparação com o ano de 2016. A movimentação de fertilizantes atingiu o recorde de 1,267 milhão de toneladas importadas em 2017, pelo Terminal de Granéis Sólidos (TGS) do Porto de Aratu-Candeias, contra pouco mais de 989 mil toneladas em 2016. Acontece que historicamente, a movimentação dos produtos tem relação direta com a produção de grãos. Para compensar os aproximadamente 900 quilômetros que separam o principal polo agrícola da Bahia do porto por onde quase toda a soja do estado é escoada, os caminhões vêm abarrotados de grãos e retornam levando fertilizantes. Daí a importância da alta na movimentação dos insumos. Sem contar que o aumento no consumo do produto pode indicar aumento de produção no campo. 

Mar de soja 
De acordo com dados da Associação de Produtores e Irrigantes da Bahia (Aiba), as perspectivas para a soja na safra atual são de um aumento de 1,3% em relação à área plantada e de 5% em relação à produção. Este ano, a turma do Oeste espera atingir com a cultura um total de 1,6 milhão de hectares plantados e obter uma produção de 5,37 milhões de toneladas do produto. Até o momento, com o clima tem favorecendo o desenvolvimento da soja, as perspecivas são de uma produtividade de 56 sacas por hectare, indica a Aiba. . Parte do crescimento em área da soja deve se dar em terras que antes eram destinadas ao milho, cujas expectativas são de uma redução de 22% na área e de 1,3% na produção. A cultura deve ocupar 140 mil hectares e deve ter uma produção de 1,3 milhão de toneladas. A alta mais significativa em produção deverá ficar por conta do algodão. Neste caso, esperam-se aumentos de 35% tanto na área quanto na produção, que devem atingir 260 mil hectares e 1,2 milhão de toneladas, respectivamente.

Mais navios em Aratu
Os 660 navios cargueiros atracados no Porto de Aratu-Candeias, entre janeiro e dezembro de 2017, superaram em 36 o número registrado no mesmo período do ano anterior, de 624. Dos navios que chegaram na unidade portuária, 528 movimentavam produtos líquidos e gasosos, enquanto os 132 restantes transportaram granéis sólidos.

Mesa farta
Segunda data mais importante para o varejo alimentar, as vendas no período de Páscoa vão muito além dos ovos de chocolates e pescados. No Walmart Brasil a expectativa é registrar um crescimento de dois dígitos nas vendas de produtos ligados à Sexta-feira Santa.  O bacalhau é destaque, com previsão de vendas 10% maiores que no ano passado. Entre as novidades está o item marca própria Great Value, como lasca tipo bacalhau. A empresa também está investindo em cortes nobres como lombo de bacalhau e file de bacalhau sem pele e sem espinho embalados em bandejas de 1 quilo. Para Semana Santa, pescados devem registrar um crescimento de 15% nas vendas, comparado ao mesmo evento de 2017. É neste período também que a procura por peixe fresco, não congelado, cresce em torno de 40%, principalmente na Sexta-Feira Santa. Entre os mais vendidos estão o filé de tilápia, tilápia inteira, pintado, tambaqui, corvina e salmão inteiro.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas