'Briga acabou cedo', diz Bellintani sobre luta pela Libertadores

e.c. bahia
24.11.2019, 19:15:00
Atualizado: 25.11.2019, 11:42:38
Bellintani diz que quer entender motivos da queda de rendimento do time (Felipe Oliveira/EC Bahia)

'Briga acabou cedo', diz Bellintani sobre luta pela Libertadores

Presidente do Bahia lamenta derrota para o Goiás e fala em ajustes

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Não foram apenas os jogadores do Bahia que lamentaram a derrota para o Goiás na tarde deste domingo (24), no Serra Dourada. Presidente do clube, Guilherme Bellintani concedeu entrevista à Rádio Metrópole e falou sobre o momento do tricolor no Campeonato Brasileiro.

Sem vencer há oito jogos, o tricolor vive uma crise sem fim dentro de campo e, para Bellintani, o momento é de ajustar o rumo e descobrir o motivo da queda de rendimento. "Segundo turno muito ruim, abaixo, com números que a gente não esperava. Lógico que sempre fui pés no chão de colocar como objetivo do clube ficar entre os dez no Brasileirão. Mas, pelo primeiro turno que a gente fez, que brigou pela Libertadores... Apenas a briga acabou antes do que a gente imaginava", disse Bellintani.

"O que importa agora é entender o motivo do time cair tanto. É terminar o campeonato em bom estilo, honrando a camisa do clube e aprender com os erros. Pior colocação que estivemos foi a 12ª colocação. O que acontece é que nosso primeiro turno fez ter uma expectativa maior. Nesse momento, dá uma tristeza. É levantar a cabeça, mostrar que o time tem um projeto e entender que a gente erra. Rendimento muito ruim no segundo turno. Entregamos campeonato que estava pedindo para a gente se classificar. A gente não fez nossa parte", analisou o dirigente.

Guilherme Bellintani aproveitou para assumir a responsabilidade pelo momento de declínio da equipe. "A gente não vai achar nunca que uma queda dessa é de responsabilidade única do treinador. É coletivo, e o primeiro responsável é o presidente. O grande responsável nesse momento sou eu. Entre treinador, comissão técnica, diretoria, jogadores. Então, naturalmente, a gente divide com todo mundo", afirmou ele.

Com mais quatro jogos no Brasileirão, o Bahia agora foca no Atlético-MG, adversário de quarta-feira (27), às 21h, na Fonte Nova. O Esquadrão soma 44 pontos e ocupa a 10ª colocação do Campeonato Brasileiro. Depois, enfrentará CSA, Vasco e Fortaleza.    

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas