Calabar: PM reforça policiamento com viaturas e helicóptero após ônibus queimado 

salvador
04.03.2020, 09:47:00
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Calabar: PM reforça policiamento com viaturas e helicóptero após ônibus queimado 

Vândalos queimaram veículo no acesso da comunidade em Ondina

Um dia após um ônibus ser incendiado e outro depredado por vândalos encapuzados, o policiamento segue reforçado no entorno da comunidade do Calabar, em Salvador. Em nota, a Polícia Militar informou que, na manhã desta quarta-feira (4), o policiamento está intensificado na região com equipes da 41ª Companhia Indepentente da Polícia Militar (CIPM/Federação), CIPT/Rondesp Atlântico Companhia de Patrulhamento Tático Móvel (Patamo), Esquadrão Águia e sobrevoos do Grupamento Aéreo (Graer) da PM.

O comércio, escolas e postos de saúde funcionam normalmente apesar de registrar um número menor de pessoas circulando. Os ônibus também rodam normalmente.

Equipes das Rondas Especiais (Rondesp) Atlântico interceptaram, no início da manhã desta quarta-feira (4), um homem de 21 anos que, segundo a Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), pretendia queimar um ônibus na Avenida Centenário.

De acordo com a SSP-BA, o homem seria traficante e principal suspeito de ter colocado fogo em outro coletivo, na noite de terça-feira, na mesma região.

"Os militares patrulhavam na região do Calabar, quando receberam informações de que um criminoso atacaria um novo veículo de transporte coletivo. O traficante foi cercado e capturado quando tentava fugir. Com ele foram apreendidos uma garrafa com gasolina, 50 trouxas de maconha, 49 pedras de crack e munições calibre 45. O caso foi registrado na Central de Flagrantes", afirmou a SSP-BA, em nota. 

Terror
A noite de terça-feira (4) começou em clima de terror para moradores do bairro de Ondina, motoristas e, principalmente, passageiros de dois coletivos que passavam lotados pela marginal da Avenida Oceânica, na entrada da Rua Sabino Silva. De acordo com o motorista de um dos ônibus, cerca de 20 homens, quase todos jovens, bloquearam a passagem com placas no chão e promoveram um ataque aos veículos utilizando armas, fogo e pedras. O ataque foi em horário de pico.

Um dos coletivos foi incendiado e outro foi apedrejado na altura do Largo do Camarão, próximo de uma das entradas do Calabar. Ainda segundo o motorista, dois homens entraram armados no segundo ônibus e ameaçaram os ocupantes, forçados a descer. Em seguida, apedrejaram o veículo.

“Ele nem esperou a gente descer. Pegou uma pedra e jogou do lado do motorista. Eu falei para o motorista pegar a sacola e só deu tempo disso. Aí eles apedrejaram e a gente correu sem nem saber onde foram parar os passageiros. O motorista nem sabe como abriu as portas. Foi muito rápido”, contou uma cobradora, que relatou ainda a ocorrência de tiros.

Um vídeo feito por moradores de um prédio vizinho mostra a situação no outro coletivo, que foi incendiado. Os passageiros também foram forçados a deixar o ônibus. Na frente do veículo foram usados fogos de artifício.

Mais cedo, mais um ônibus foi atacado, desta vez na Avenida Centenário, que também dá acesso à comunidade do Calabar, por volta das 15h. De acordo com Luís Ricardo Barbosa, diretor do Sindicato dos Rodoviários, o coletivo foi apedrejado e quase incendiado. “Serão mais três ônibus que a população deixará de usufruir. A gente já se queixa tanto dos ônibus e, agora, depois desse incidente, será pior a situação do transporte público”, disse.

Medo
Durante a confusão, motoristas que passavam pelo local chegaram a voltar de ré na via, que ficou congestionada nos dois sentidos, pouco antes das 20h. “Não consegui ver diretamente o que estava acontecendo. Só ouvi os tiros. Muitos tiros mesmo. Aí a maior parte dos carros voltou dando ré”, comentou uma estudante da Ufba de 21 anos.

Um morador da região, que também não quis ser identificado, disse que estava em casa quando ouviu o barulho. Ele contou que o ruído foi de rojões. 

De acordo com a Transalvador, o ônibus do Consórcio Salvador Norte ficou completamente destruído. Uma parte da via foi bloqueada para evitar que as explosões do coletivo atingissem outros veículos.

Às 20h30, o Corpo de Bombeiros já havia controlado o fogo. Mas, parte da fiação elétrica de postes foi comprometida pelas chamas.

Policiais militares da 12ª CIPM (Rio Vermelho) atenderam ao chamado, mas a Polícia Militar não deu mais detalhes da ocorrência. Na área, há várias câmeras. Investigadores devem recolher imagens que possam identificar os envolvidos.

Anteontem à noite, um grupo com encapuzados parou um ônibus, o atravessou na rua e ateou fogo em objetos na entrada do Calabar pela Avenida Centenário. Na ocasião, ninguém ficou ferido.

A manifestação teria relação com a morte de Marcos Vinicius Ramos Salomão, 21 anos. Ele morreu, segundo a PM, após confronto com policiais da Rondesp. A polícia informou que estava com um revólver calibre 38 e drogas.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas