Casarão que desabou no Tororó estava abandonado há seis meses

salvador
22.04.2021, 20:35:39
Atualizado: 22.04.2021, 20:40:54
(Nara Gentil/CORREIO*)

Casarão que desabou no Tororó estava abandonado há seis meses

Caso aconteceu na tarde de ontem (21) em Salvador; Codesal recomendou o escoramento emergencial das fachadas lateral e frontal do imóvel

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O casarão que desabou parcialmente na quarta-feira, 21, no bairro do Tororó, em Salvador, recebeu da Defesa Civil de Salvador (Codesal) a recomendação de seja feito o escoramento emergencial das fachadas lateral e frontal do imóvel.

Localizado na Rua do Amparo, o casarão estava desocupado quando parte do telhado desabou internamente. Não houve vítimas. Na vistoria, a Codesal chegou a conclusão de que há instabilidade na parede lateral do casarão, que fica ao lado de outro prédio.

Em contato ao CORREIO*, uma das vizinhas do imóvel afirmou que o casarão está desocupado há seis meses. “Tinha uma pessoa morando no casarão há seis meses atrás, mas eles saíram, por conta mesmo do risco de desabamento causado pelas chuvas”, afirmou Dona Val, que também mora na Rua do Amparo.

“A vizinhança tá relativamente tranquila, na minha casa que fica próxima tá tudo bem, o problema foi mesmo no casarão. Só a vizinha do lado do casarão que sofreu com parte dos estragos”, complementou. 

A Secretaria de Desenvolvimento e Urbano (Sedur) e a Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) foram acionadas ainda na tarde de ontem para fazer o rebaixamento da parede e para isolar a via em frente, respectivamente.

(Nara Gentil/CORREIO*)
(Nara Gentil/CORREIO*)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas