China emite alerta de urgência para temido tufão Bavi

mundo
26.08.2020, 19:42:00
Atualizado: 26.08.2020, 19:57:26
Imagem de satélite mostra o tufão Bavi cobrindo as ilhas Okinawa. As previsões indicam que Bavi pode se tornar um poderoso tufão antes de atingir a Península da Coreia (Imagem: NOAA)

China emite alerta de urgência para temido tufão Bavi

Câmara da Nasa captou imagem da tempestade a mais de um milhão e 600 km da Terra; tufão vai continuar a afetar a Coreia e algumas regiões chinesas

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais da China fez um alerta nesta quarta-feira (26) para a passagem do tufão Bavi, de categoria 8, que se movimenta no mar da China Oriental em direção ao continente e deve ter uma força devastadora.

O alerta de urgência contra tufões exige que os departamentos agrícolas e rurais de diversas localidades, como Liaoning, Jilin, Heilongjiang, Mongólia Interior, implementem várias medidas de defesa para reduzir perdas e danos.

O alerta prevê que produtores e trabalhadores rurais mantenham contato com os departamentos meteorológicos, de conservação de água e pesca, coletando e enviando informações sobre o caminho do tufão, para que sejam implementadas de medidas de socorro em tempo hábil. O governo também utiliza a medida para que os agricultores reforcem medidas de estoque e conservação de alimentos.

De acordo com o Observatório Meteorológico Central da China, o tufão Bavi se move para o norte do país e sua intensidade aumentará gradualmente, atingindo o nível mais forte. O observatório afirma que o fenômeno seguirá ainda nesta quarta-feira (26) para a parte sul do Mar Amarelo e se aproximará da costa da península de Shandong na China. Na quinta (27), deve seguir para a costa do oeste da Coreia do Norte ao leste de Liaoning.

Uma câmara da Nasa (Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço) captou imagens a uma grande distância do tufão. Nesta terça-feira (25), a Earth Polychromatic Imaging Camera (EPIC, na sigla inglesa), uma câmara inserida no satélite DSCOVR (Deep Space Climate Observatory)​, que está em órbita a mais de um milhão e 600 quilômetros da Terra, captou uma imagem completa desta região do planeta.

(Nasa)

O tufão Bavi, fenômeno que é visível na imagem e teve origem na semana passada na costa leste de Taiwanestava a mover-se para Norte quando a imagem foi registada e, segundo a NASA, terá já atingido o seu pico de intensidade. Espera-se agora a tempestade continue a perder intensidade e comece a tornar-se num fenômeno mais fraco na altura em que atingir o oeste da Coreia do Norte e o nordeste da China.

Os furacões são classificados numa escala que vai de 1 a 5, com base na velocidade dos ventos. O tufão Bavi tinha, esta quarta-feira, ventos máximos sustentados perto de 185 quilómetros por hora, o que equivale à categoria três.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas