Churrasco em Pintadas espalha covid-19 no município

coronavírus
19.06.2020, 05:30:00
Atualizado: 19.06.2020, 09:15:07
(Divulgação/Prefeitura de Pintadas)

Churrasco em Pintadas espalha covid-19 no município

Nove pessoas participaram da festa e infectaram ao menos outras 20

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um churrasco realizado no final de maio para comemorar o aniversário de uma jovem em Pintadas, centro-norte da Bahia, foi responsável por um surto de covid-19 na cidade. Todos os nove participantes da festa se contaminaram com o vírus e o transmitiram para, pelo menos, outras 20 pessoas, segundo a investigação feita pelo município.  

O enfermeiro Antonio Marcos, 40 anos, que mora em Salvador, mas trabalha para a prefeitura de Pintadas há dois anos, estava na comemoração. Do grupo, ele foi o primeiro infectado identificado e, imediatamente, disse ter avisado à vigilância epidemiológica do município sobre a realização do churrasco, que aconteceu numa sexta-feira à noite, mais precisamente, no dia 29 de maio. 

Um dia depois, Marcos começou a sentir os sintomas da doença e disse ter ficado isolado. “Eu não estava indo mais para o trabalho, pois ia ser transferido de setor. Por isso, aceitei o convite de um amigo para participar do aniversário”, disse. Desde então, Marcos não trabalhou mais. “Já estou há cinco dias sem qualquer sintoma, mas permaneço em quarentena obrigatória até o dia 21”, afirmou.  

A participação do enfermeiro na festa logo se tornou pública em toda a cidade. Arrependido, Marcos gravou um vídeo com um pedido desculpa para toda a população.

“Não só como ser humano, mas também como profissional da saúde, eu errei em participar dessa festa. Assumo meu erro e venho pedir perdão publicamente”, disse.  

No vídeo, Marcos ainda alerta à população para que não cometam o mesmo erro que ele teve. “Não façam festas do tipo. Fiquem em casa e cumpram o isolamento. Eu senti na pele o quão ruim é descumprir essas medidas. Graças a Deus, estou me curando e rezo para que todas as pessoas da cidade que foram infectadas nessa festa ou por causa dessa festa também se recuperem logo”, afirmou.  

Veja o vídeo completo: 

Prefeitura 
O prefeito de Pintadas, João Batista, conhecido como Batista da Farmácia (DEM), afastou o funcionário. "Ele pede para voltar quando sarar, mas a gente não vai permitir, pois a população reagiu ao acontecido. Só que, até então, ele sempre tinha uma postura profissional e responsável. Nós erramos, todos temos o direito de errar. Mas, nesse período, errar é complicado. Além de ser prefeito, eu sou técnico de enfermagem e bem sei como temos que dar o exemplo”, afirmou.  

Para conter a propagação do vírus na cidade, que já infectou um total de 31 pessoas, segundo o último boletim epidemiológico divulgado, o prefeito decretou o lockdown no município desde o dia 13 de junho até o próximo dia 21. “Só abrem serviços essenciais em Pintadas, como supermercados, farmácias, posto de gasolina, água, gás e material de construção. Nos três primeiros dias de lockdown, esses serviços essenciais só trabalharam por delivery”, disse.  

E como o surto da doença na cidade foi causado pela festa de aniversário – dos 31 infectados, só os dois primeiros não tiveram relação com o evento -, o prefeito decidiu atacar a raiz do problema. “Nesse período, proibimos a chegada de bebidas alcoólicas na cidade. Bares e distribuidoras estão proibidos de vender. Os profissionais entenderam a importância da medida, pois é para o bem deles mesmos”, disse.  

Para impedir a chegada dessas bebidas alcoólicas na cidade, o prefeito disse que tem uma barreira na entrada do município, que, nesse período do lockdown, só permite entrar na cidade o que é essencial. “Pessoas de outras cidades também não podem entrar aqui, a não ser que seja por um motivo essencial”, explicou.    

Barreira sanitária montada em Pintadas (Foto: Divulgação)

Todas as pessoas infectadas em Pintadas estão com um quadro leve da doença, são assintomáticas ou já estão curadas, segundo o prefeito. Não houve óbito por coronavírus. O CORREIO procurou a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) para comentar se foi emitido pelo órgão algum comunicado às cidades sobre como os municípios podem apertar o cerco para impedir aglomerações do tipo, mas não houve retorno.

Relembre 
Outros eventos já aconteceram no interior do estado e na capital, gerando aglomeração e chamando a atenção das autoridades. No final de maio, em Simões Filho, Região Metropolitana de Salvador (RMS), uma moradora do conjunto habitacional Bela Vista, no bairro Santo Antônio Rio das Pedras, denunciou ao CORREIO que a comunidade tem feito festas ‘paredões’ no local desde o início da pandemia. “Não tinha nada até começar a quarentena. Desde então tá tendo paredão todo final de semana”, reclama a moradora, na ocasião. 

Ainda na RMS, em Lauro de Freitas, há pelo menos um mês, cinco festas foram encerradas pela polícia em três mansões distintas no município. A primeira e maior foi na madrugada do dia 17 de maio. A festa do tipo "rave" reunia cerca de 70 jovens. Na época, a prefeita Moema Gramacho lamentou: "É um absurdo as pessoas fazendo festa como se tivesse tudo normal”. 

Já em Ipiaú, no sul baiano, na madrugada do dia 9 de maio, policias militares foram notificados sobre a realização de uma festa às margens do rio de Contas. No local, os policiais apreenderam um carro, três motocicletas e os presentes, que foram encaminhados à delegacia local, onde a ocorrência foi registrada.  

De acordo com o site Ipiaú Online, 17 pessoas, na faixa entre 14 e 26 anos, estavam presentes no que foi chamada Corona Fest 2. É que semanas atrás, no dia 25 de abril, a Polícia Militar já havia interceptado um veículo que transportava 20 pessoas na carroceria para o que seria a primeira edição da Corona Fest. Os integrantes e o veículo foram apreendidos na ocasião. 

Já Salvador não ficou de fora da lista de cidades com eventos polêmicos. No dia 11 de maio, uma festa surpresa em homenagem aos 15 anos de uma adolescente terminou fugindo do planejado. A ideia era fazer uma carreata em volta da praça do Loteamento Aquarius, na Pituba, para cantar parabéns para a garota e assistir, do interior dos carros, uma valsa dela com o pai. No entanto, os convidados resolveram parar os veículos e descer para dançar com a menina, causando revolta na população. 

Dias depois, dessa vez no bairro de Periperi, imagens de guerra de espadas perto da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro. Os vídeos mostram dezenas de pessoas, todas sem máscaras, aproveitando a festa. "São João antecipado, né?", comenta um. Outro aparece colocando a espada na boca. A situação revoltou o prefeito de Salvador, ACM Neto, que decretou, na época, medidas de isolamento mais restritivas, no bairro.  

* Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas