'Ciclone bomba' provoca estragos no Sul do país e deixa pelo menos três mortos

em alta
30.06.2020, 22:28:59
Atualizado: 30.06.2020, 22:42:12

'Ciclone bomba' provoca estragos no Sul do país e deixa pelo menos três mortos

Vídeos assustadores mostram explosões e até operários presos a andaimes; veja

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Ventos de mais de 100 km/h, chuvas torrenciais e queda drástica e repentina na temperatura foram alguns dos efeitos que um ciclone extratropical, fenômeno também chamado de "ciclone bomba", que muda o clima no Sul e Sudeste do país. A força do temporal pode ser demonstrada em diversos vídeos publicados nas redes sociais, desde a tarde desta terça-feira (30), e já traz consequências sérias, a exemplo de três mortes registradas em Santa Catarina. O Rio Grande do Sul também está sentindo os efeitos mais imediatos do ciclone neste primeiro dia.

O litoral catarinense foi uma das mais atingidas pelo vendaval. Em Itajaí, os bombeiros foram acionados para ocorrências de destelhamentos e quedas de árvores, assim como em Balneário Camboriú, de onde vem dois dos vídeos mais impressionantes publicados por internautas: o primeiro, quando uma placa de prédio se desloca e cai sobre a fiação, provocando explosões; e o segundo, um registro de operários quase sendo arremessados de um andaime pelos fortes ventos. Eles conseguiram se safar da situação e não correm risco.

Veja os vídeos.

Em Santa Catarina, o vendaval começou na região Oeste ainda pela manhã e avançou pelo Estado durante a tarde, causado pela formação de um ciclone. As mortes foram registradas em Chapecó, Tijucas e Santo Amaro da Imperatriz. Conforme relatório da Defesa Civil, o vento chegou a atingir 120 km/h no alto do Morro da Igreja, em Urubici.

Segundo o site NSC Total, em Chapecó os ventos chegaram a atingir 108 km/h, derrubando árvores e placas. Uma senhora de 78 anos morreu depois de ser atingida por uma árvore perto do aeroporto da cidade. A Defesa Civil registrou destelhamentos em Descanso, Santa Helena, São Domingos, Jaborá e Xanxerê.

Já na capital, Florianópolis, o Corpo de Bombeiros foi acionado para ocorrências de queda de árvores no Estreito, Pantanal e Rio Tavares. No Córrego Grande, uma árvore caiu em cima de uma van e um carro de passeio. O telhado de prédio foi carregado pelo vento em Jurerê. Árvores caídas bloquearam parcialmente o trânsito na SC-401 e na SC-406.

Ainda de acordo com o NSC Total, em Santo Amaro da Imperatriz, na Grande Florianópolis, um homem morreu após ser atingido pela fiação da rede elétrica. Uma árvore havia caído sobre o poste e derrubado os fios. Outra morte ocorreu em Tijucas, no Litoral, em um imóvel com parte da estrutura colapsada.

No Sul do Estado, o Corpo de Bombeiros registrou quedas de árvores e postes em Criciúma, Treviso, Tubarão, São Ludgero, Braço do Norte e Imbituba. Em Tubarão, casas e carros foram atingidos por árvores que caíram.

Às 17h30min, 1,58 milhão de unidades consumidoras catarinenses, 49% de todas do Estado, estavam sem energia, segundo o mapa em tempo real de fornecimento da Celesc.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas