Cidades da Grande Salvador renovam decretos para controlar coronavírus

coronavírus
07.04.2020, 21:00:00
(Foto: Arisson Marinho/Arquivo CORREIO)

Cidades da Grande Salvador renovam decretos para controlar coronavírus

Com restrições, municípios da RMS decidem manter apenas serviços essenciais

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Depois de duas semanas oficiais dos primeiros decretos de quarentena, as cidades da Região Metropolitana de Salvador (RMS) optaram por manter as medidas de contenção.

Apenas os serviços considerados essenciais, como emergências hospitalares, mercados e postos de gasolina continuam de portas abertas nos municípios da região, mas mantendo restrições de funcionamento.

Lauro de Freitas
Em Lauro de Freitas, a prefeitura lançou na tarde desta terça-feira (7) mais um decreto que informa que os estabelecimentos autuados pelos fiscais terão até 48h para se adequar as medidas, podendo ser interditados caso voltem a infringir as regras definidas.

Lá, as exceções são as clínicas de saúde para humanos e animais - que poderão atender apenas no serviço de emergência - supermercados e mercadinhos, postos de gasolina e oficinas.

Nos casos destes comércios com alta circulação de pessoas, será preciso controlar a entrada e saída dos clientes, além de fornecer álcool em gel.

Em agências bancárias e lotéricas, o decreto prevê que os clientes precisem aguardar fora das unidades para serem atendidos, além de manter a distância segura de um metro.

Camaçari
O mesmo vale para Camaçari, que manterá a decisão até o vencimento do prazo, que acontece no dia 19 de abril. Além do comércio, a cidade também suspendeu as atividades religiosas.

Simões Filho
Simões Filho também renovou o decreto inicialmente assinado no dia 23 de março, que também prolonga por mais 15 dias o funcionamento apenas dos serviços de emergência e restringe o acesso do público à estabelecimentos como lojas de autopeças e de materiais de construção.

Os clientes devem solicitar o delivery ou retirada imediata na loja sem a necessidade de entrar no espaço.

Queda na circulação
Em duas delicatessens em Lauro de Freitas, as medidas acarretaram na queda do movimento. Segundo Moisés Silva, gerente de suprimentos de um dos espaços, houve uma queda de quase 70% na circulação de pessoas no estabelecimento, que antes oferecia self-service no café, almoço e jantar.

Agora, o serviço está suspenso, sendo liberado apenas por encomenda do clientes, que pode retirar ou solicitar o delivery com uma taxa de entrega.

O gerente revela que os principais produtos que deixaram de ser consumidos são os alimentos produzidos no dia, como os salgados que eram vendidos. “O que mais tem saídos são os frios e os derivados de leite, mas os lanches e bebidas diminuíram muito”, completou.  

Vera Cruz
Já em Vera Cruz, as lojas com mais de 200 metros quadrados poderão voltar a funcionar a partir desta quarta (8), desde que sigam as ordens de demarcação do espaço, que mantenham os clientes separados a dois metros de distância.

As decisões estão válidas até a próxima terça-feira, dia 14. Estabelecimentos como farmácias, padarias, e fornecedoras de água mineral, da rede elétrica e materiais de construção continuam aptas a abrirem as portas.

Mata de São João
A prefeitura de Mata do São João manteve fechadas as lojas com mais 200 metros quadrados, mas manteve os espaços essenciais em funcionamento.

Por se tratar de um município turístico, o decreto também apresentou um artigo que determina o funcionamento de pousadas que tenham um quadro de até 50 funcionários, que serão obrigados a utilizar os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), como máscaras e luvas.

Essas medidas foram assinadas no dia primeiro de abril, podendo ser avaliadas de acordo com situação epidemiológica do município.

Pojuca
Em Pojuca, ficou determinado que restaurantes, bares e food truck terão horário especial de funcionamento, das 10h às 15h e das 18h às 22h, e determinam os distanciamento de, pelo menos, um metro e meio dos clientes e das mesas dos estabelecimentos. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas