Cinco aeroportos ficarão sem combustíveis por causa de protesto dos caminhoneiros

brasil
23.05.2018, 18:05:09

Cinco aeroportos ficarão sem combustíveis por causa de protesto dos caminhoneiros

Congonhas é um dos três aeroportos mais movimentados do país

Os aeroportos de Congonhas, em São Paulo, Palmas (Tocantins), Recife (Pernambuco), Maceió (Alagoas) e Aracaju (Sergipe), só possuem combustível suficinete para abastecer as aeronaves até esta quarta-feira (23), em decorrência do protesto dos caminhoeiros e do bloqueio às distribuidoras. A situação foi revelada através de um relatório da Infraero, divulgado pela manhã.

O aeroporto de Congonhas é um dos três mais movimentados do Brasil. Nele, fica a rota de maior circulação de passageiros do Brasil, a ponte aérea Rio-São Paulo. Outros seis aeroportos têm combustível para no máximo dois dias (Goiânia-GO, Teresina-PI, Campo Grande-MS, Ilhéus-BA, Foz do Iguaçu-PR e Londrina-PR).

O alerta foi dado pelo Núcleo de Acompanhamento e Gestão Operacional (Nago), no "relatório de monitoramento da mobilização dos caminhoneiros". O relatório leva em consideração apenas os aeroportos administrados pela Infraero; os gerenciados por empresas privadas não entram no levantamento. Brasília, por exemplo, restringiu, também nesta quarta-feira (28), o recebimento de aeronaves com pouco combustível no terminal.

Pelo 3º dia seguido, caminhoneiros continuam protestando em rodovias federais e estaduais, além de vias importantes em 23 estados do país, mais o Distrito Federal. Alguns atos ocorrem diante de refinarias, impedindo a saída de caminhões-tanque.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) disse recomendar aos passageiros "com voos marcados para os próximos dias que consultem as empresas aéreas antes de se deslocarem para os aeroportos até que a situação se normalize".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas