Club Med Itaparica confirma fechamento a partir de agosto

turismo
20.03.2019, 20:02:12
Atualizado: 20.03.2019, 21:13:53

Club Med Itaparica confirma fechamento a partir de agosto

Segundo fontes, por trás do fechamento do resort está uma estratégia de expansão na Ásia

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Club Med Itaparica, um dos principais resorts de luxo da Bahia e localizado no município de Vera Cruz, na Ilha de Itaparica, confirmou nesta quarta-feira (20) ao CORREIO que funcionará até 31 de julho de 2019.

“Até lá o resort funciona normalmente. O grupo informa que a decisão faz parte de uma estratégia mundial de focar em resorts que evoluem para um posicionamento premium”, diz o comunicado.

A nota diz ainda que “o Club Med continuará operando com a mesma qualidade e com os mesmos serviços all inclusive premium durante todo o período que estará sob a sua responsabilidade”. O local emprega cerca de 200 funcionários.

Segundo fontes ligadas ao setor hoteleiro da Bahia, por trás do fechamento do resort está uma estratégia de expansão na Ásia, por influência da chinesa Fosun International Ltd, uma das principais acionárias do grupo francês Club Méditerranée SA.

Para entidades que representam hotéis e agências de viagem da Bahia, o encerramento das atividades do resort é resultado da falta de investimentos no setor nos últimos anos, o que é corroborado pela Prefeitura de Vera Cruz.

Num comunicado, a prefeitura diz que “a divulgada saída do resort Club Med da Ilha é algo que já se comenta há muito, principalmente com a proximidade do encerramento do contrato do grupo com o Unibanco, proprietário de 50% de toda a área do imóvel [onde está o hotel], encerrando o arrendamento agora em 31/07/2019”.

“O Club Med vem ao longo dos últimos anos desativando dezenas de apartamentos e cessando gradativamente o uso do resort, datando o último investimento na estrutura de 2009”, informa prefeitura.

A Secretaria de Turismo da Bahia (Setur) informou que “não estamos divulgando articulações em busca de alternativas para manutenção do resort”.

Enquanto entidades cobram mais investimento do governo no setor, a Setur diz que até novembro o estado estará presente em 32 feiras internacionais de turismo e 21 eventos nacionais, “a fim de divulgar atrativos turísticos e trazer um número ainda maior de visitantes”.

“Agora que passou o Carnaval é que precisamos nos preocupar”, disse Glicério Lemos, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis da Bahia (ABIH-BA), segundo a qual a taxa de ocupação no Carnaval foi de 97,64% – 0,64% a mais do que 2018.

Já o mês de fevereiro de 2019 registrou 68,52% de taxa de ocupação contra 68,27% no mesmo período do ano passado. “Isso, mesmo com poucos investimentos que temos visto no setor. Precisamos fazer com que a Bahia atraia mais turistas”, comentou.

Sobre o fechamento do Club Med Itaparica, Lemos disse que “é lamentável e resultado dessa situação toda que estamos vivendo na Bahia, onde o empresário tem de correr atrás se não quiser fechar as portas”.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas