Com covid-19, secretário de Saúde deixa UTI e vai para unidade de semi-intensiva

bahia
27.02.2021, 17:36:43
Atualizado: 27.02.2021, 17:46:47
(Reprodução)

Com covid-19, secretário de Saúde deixa UTI e vai para unidade de semi-intensiva

Internado desde o dia 19, Fábio Vilas-Boas esteve duas vezes na Unidade de Tratamento Intensivo. Neste sábado, ele apresentou melhora, segundo a Sesab

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Após apresentar melhora no quadro de covid-19, o secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Aliança, em Salvador, onde estava desde a última quinta-feira (25). Ele está internado desde o último dia 19.

O secretário agora está em uma unidade de semi-intensiva. Desde que foi internado, ele esteve duas vezes na UTI. A primeira foi na noite da última segunda-feira (22), e ele permaneceu lá por um dia, até retornar para o apartamento. Desta vez, ele ficou cerca de 48h.

Em nota, a secretaria de Saúde explicou que o quadro de saúde do chefe da pasta apresenta curva de melhora, sem febre, com oxigênio em baixo fluxo e sem nenhum outro sintoma relevante.

“O secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas, segue internado há oito dias no Hospital Aliança, em Salvador, em virtude da Covid-19. Foi transferido da UTI para a semi-intensiva, em curva de melhora. Segue realizando intensa fisioterapia respiratória, com um quadro clínico estável, sem febre, com oxigênio em baixo fluxo e sem nenhum outro sintoma relevante”.

Ainda de acordo com a Sesab, ele é assistido pelo pneumologista Sérgio Jezler e pelo infectologista Roberto Badaró. O secretário permanece em uso de medicamentos e ainda não há previsão de alta.

'Não tem sido fácil'

No início da semana, Fábio Vilas-Boas fez um vídeo no qual relata que não tem sido fácil lutar contra a doença, apesar de estar recebendo assistência médica. "Essa é uma doença traiçoeira, a gente não sabe quem vai melhorar, quem vai piorar", contou no vídeo postado nesta segunda-feira (22).
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas