Comerciante mata empresária para não quitar dívida

bahia
22.01.2021, 12:06:00
Atualizado: 22.01.2021, 13:48:05
(TV Sudoeste)

Comerciante mata empresária para não quitar dívida

Crime aconteceu em Barra do Choça

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Para não quitar uma dívida, um comerciante matou a empresária Gilvanete de Souza Nogueira, 51 anos, em Barra do Choça. Segundo informações da polícia, ele já havia passado um cheque sem fundos para "saldar" a dívida. Os dois eram vizinhos de comércio em Vitória da Conquista.

Antes de encontrar o suspeito, ela avisou a uma amiga e disse que estava apreensiva. A empresária não deu mais notícias e a família registrou seu desaparecimento na delegacia. Apolícia procurou o homem, que disse ter dado uma carona a ela e a deixado numa determinada rua.

A equipe do Draco levantou imagens de câmeras de monitoramento no trajeto descrito pelo suspeito e apurou que as informações eram falsas. A prisão dele foi solicitada à Justiça e após o cumprimento do mandado, os investigadores descobriram o local onde ele havia deixado o corpo da vítima. 

A equipe do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco/Conquista) levantou imagens de câmeras de monitoramento no trajeto descrito pelo suspeito e apurou que as informações eram falsas. A prisão dele foi solicitada à Justiça e, após o cumprimento do mandado, os investigadores descobriram onde ele havia deixado o corpo da vítima. 

Gilvanete foi encontrada com marcas de agressão e estrangulamento, nessa quinta-feira (21). A investigação conduzida pela polícia judiciária revelou que o assassino a matou para não pagar a dívida contraída. Ele ficará custodiado à disposição da Justiça.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas