Comerciantes fazem mutirão para apagar fogo em quiosque do Imbuí

salvador
02.11.2020, 10:05:00
Atualizado: 02.11.2020, 10:14:04
(Marina Silva/CORREIO)

Comerciantes fazem mutirão para apagar fogo em quiosque do Imbuí

Chamas começaram por volta das 6h, destruíram uma estrutura e danificaram outra

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O comerciante Washington Tito, 32 anos, estava em casa quando recebeu uma ligação de um dos funcionários dele avisando que um incêndio estava consumindo um dos bares do Imbuí, na Avenida Jorge Amado, na manhã desta segunda-feira (2). 

Washington tem um quiosque fica nas proximidades do local do incêndio e correu para tentar ajudar. O fogo começou no interior do bar Caranguejo Master e a madeira de eucalipto que compõe a estrutura ajudou a propagar as chamas. O fogo atingiu a lona que cobria o local e avançou para ao quiosque do Pipoca que fica ao lado. 

"Eu tinha saído daqui por volta de 2h. Meus funcionários chegaram pela manhã para fazer a limpeza e ajeitar as coisas, e quando viram o fogo me ligaram. Era umas 6h. A gente conseguiu retirar o material do quiosque do Pipoca, antes do fogo se espalhar, mas não deu tempo de salvar a outra", contou Tito. 

Moradores contaram que antes do incêndio começar houve duas explosões em dois postes nas proximidades do bar, o que provocou uma queda de energia. O fogo surgiu em seguida. 

Os proprietários dos quiosques vizinhos chegaram em seguida e tentaram ajudar do jeito que foi possível, retirando os objetos dos estabelecimentos ou tentando controlar as chamas. 

Os bombeiros foram acionados, o fogo foi controlado por volta das 8h e as equipes ainda estão trabalhando no rescaldo. O CORREIO não conseguiu contato com o proprietário do quiosque Caranguejo Master, mas colegas dele contaram que durante a pandemia ele fez uma reforma na parte elétrica da estrutura. Já o dono do quiosque do Pipoca não está em Salvador. 

Juca Cerqueira é proprietário do quiosque Lua de São Jorge que fica próximo da estrutura atingida e disse que soube do incêndio pela imprensa. "Levantei, fiz minha corrida e quando voltei para casa vi no jornal que tinha um incêndio acontecendo no Imbuí. Nem acreditei no que vi. Foram cinco meses de pandemia, cinco meses de prejuízos, e agora isso. É muito triste", disse, emocionado. 

Às 9h30, a região do Imbuí continuava sem energia. Apesar do susto, ninguém ficou ferido.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas