Concurso para estágio no TJ-BA é anulado depois de confusão em provas

salvador
18.08.2014, 18:40:00
Atualizado: 18.08.2014, 18:42:52

Concurso para estágio no TJ-BA é anulado depois de confusão em provas

Segundo o TJ-BA, os estudantes inscritos têm participação garantida na próxima seleção, que ainda terá data anunciada, sem ônus

O Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ-BA) decidiu nesta segunda-feira (18) anular o concurso para contratação de estagiários feito neste domingo (17) em Salvador e outra sete cidades do interior. Houve confusão durante a seleção pública em vários pontos de realização das provas e os participantes reclamaram da falta de organização. 

Segundo o TJ-BA, os estudantes inscritos têm participação garantida na próxima seleção, que ainda terá data anunciada, sem ônus.

O TJ ainda informou que está apurando possíveis irregularidades da Metrópole, empresa que venceu a licitação e organizava o certame. "As medidas legais cabíveis serão adotadas com a brevidade necessária".

Confusão
De acordo com o estudante de Direito, Caio Alfano, 26, a empresa encarregada de realizar o concurso, Metrópole Soluções, mudou o local de prova, um dia antes, para a Escola de Engenharia Eletromecânica, no bairro de Nazaré mas, chegando lá, as salas não eram suficientes para receber todos os candidatos.

Estudantes esperam solução. Foto: Caio Alfano

"Mais de 20 salas não existiam. Eu cheguei com meu cartão de prova, indicando que o local era na Escola de Engenharia Eletromecânica, mas as salas não existiam. Começaram a alocar o pessoal no pátio, dizendo que era para esperar, que iam conseguir sala. Deu 12h, nenhuma solução foi dada à gente", contou Caio.

O estudante disse, ainda, que os candidatos que já estavam dentro das salas começaram a fazer a prova, enquanto mais de 200 ficaram do lado de fora esperando uma posição da empresa organizadora. Não havia nenhum representante do TJ-BA nem da organização do concurso no local.

"Deixaram a gente esperando, o colégio não tinha estrutura, o pessoal acabou sem fazer a prova. Foi o maior descaso com o estudante, desorganização total. Mais de 200 pessoas ficaram sem fazer a prova, enquanto quem estava dentro já estava fazendo. Começaram a gritar pro pessoal parar de fazer a prova".

Alguns estudantes, revoltados, invadiram as salas e rasgaram as provas. O concurso foi cancelado na escola de engenharia, porém nos outros locais, como na Faculdade Estácio FIB e Instituto Federal da Bahia (Ifba), os candidatos fizeram as provas normalmente.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas