Contra a freguesia: Bahia venceu apenas um jogo contra Chape

e.c. bahia
28.07.2019, 05:00:00
Atualizado: 29.07.2019, 07:35:53
Lucas Fonseca esteve em todos os jogos do Bahia contra a Chapecoense (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Contra a freguesia: Bahia venceu apenas um jogo contra Chape

Equipes se enfrentaram apenas seis vezes em toda a história

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Não é exagero dizer que o Bahia é freguês da Chapecoense. Muito pelo contrário. É bem verdade que as duas equipes não se enfrentaram sequer 10 vezes em toda a história, mas ao mesmo tempo é verídico que o time catarinense tem uma larga vantagem no confronto direto frente ao tricolor baiano. Foram apenas seis partidas, com três vitórias para a Chape, dois empates e um único triunfo do Bahia.

Todos os jogos entre as equipes aconteceram pelo Campeonato Brasileiro - fato que vai se repetir neste domingo (28) quando tricolor e alviverde se enfrentam na Arena Condá às 11h pela 12ª rodada da atual edição do certame. Apesar da vantagem da Chapecoense, os jogos costumam ser equilibrados, com resultados magros. A prova disso é que nenhum das seis pelejas acabou com mais de dois gols de diferença para o time vencedor.

Outra curiosidade é que os jogos das duas equipes no segundo turno sempre aconteceram na reta final do Brasileirão - e costumam ser decisivas para o resultado final dos dois no campeonato. No ano dos primeiros dois jogos, por exemplo, Bahia e Chapecoense se enfrentaram na Arena Fonte Nova já na 28ª rodada com os dois times precisando vencer. A Chape venceu por 1x0 graças ao gol de Tiago Luís, mesmo tendo um jogador a menos no campo durante boa parte do jogo. No final do ano, a Chape escapou do rebaixamento com 43 pontos e o Bahia foi rebaixado com 37.

Foram três anos até um reencontro e mais uma vez Bahia e Chape fizeram um duelo com todo sabor de decisão. Pela penúltima rodada do campeonato, mais uma vez na Fonte, os dois brigavam por uma vaga na pré-Libertadores. 

O Bahia estava em décimo, com três pontos a menos que Botafogo - primeiro time na zona de classificação, e era seguido justamente pela Chape, 11ª colocada com seus 48 pontos. Desta vez foi o Bahia quem ficou com um jogador a menos, mas o resultado não mudou: Wellington Paulista fez o gol solitário que praticamente levou a Chape à Libertadores no ano seguinte; na ocasião, Edigar Junio perdeu um pênalti para o tricolor.

Só em 2018 o Bahia conseguiu vencer pela primeira vez. Depois de um empate em 1x1 com gol de Gilberto no primeiro turno em jogo que marcou a estreia do camisa 9 pelo Esquadrão, mais uma partida na Fonte Nova no segundo turno e novamente com a linha de chegada cada vez mais próxima. Naquela 32ª rodada, o Bahia contou com gol de Élber, que chutou de bico após boa jogada de Zé Rafael para vencer por 1x0 e praticamente se livrar de qualquer risco de rebaixamento.


Momento atual
A situação das duas equipes é incômoda, apesar de cada um travar batalhas em metades distintas no campeonato. O time de Roger Machado ocupa a 12ª colocação com 15 pontos somados e enfrenta uma série de seis jogos consecutivos sem vencer, sendo quatro partidas de jejum pelo Campeonato Brasileiro. Além disso, o tricolor enfrenta o velho tabu de não vencer fora de casa e tem pela frente uma equipe bem próxima do ideal para mudar o cenário.

Para o jogo de logo mais, Roger Machado tem os desfalques do lateral Nino Paraíba além do atacante Élber e do volante Elton - todos vetados pelo departamento médico do tricolor. Uma outra baixa é Arthur Caíke: expulso no jogo contra o Cruzeiro, o atacante cumpre suspensão automática e é outro que nem viajou até Chapecó.

Ezequiel e Flávio brigam por uma vaga na lateral. O volante, inclusive, pode ser uma opção no meio-campo para fazer companhia a Gregore, mas a tendência é que Ronaldo faça sua estreia como titular. Fato similar vive o atacante Lucca, que deve compor o trio de ataque junto a Artur  e GIlberto.

A provável escalação do tricolor, portanto, é a seguinte: Douglas, Ezequiel (Flávio), Juninho, Lucas Fonseca e Moisés; Gregore, Ronaldo e Ramires; Artur, Lucca e Gilberto.

Ronaldo deve ser o companheiro de Gregore no meio-campo tricolor
Ronaldo deve ser o companheiro de Gregore no meio-campo tricolor (Felipe Oliveira/EC Bahia)
Assim como Ronaldo, Lucca deve fazer sua estreia como titular do Bahia
Assim como Ronaldo, Lucca deve fazer sua estreia como titular do Bahia (Felipe Oliveira/EC Bahia)

Na zona de rebaixamento com apenas oito pontos, a Chapecoense não venceu um único jogo dentro da Arena Condá no atual campeonato. Foi logo na abertura do cotejo, quando venceu o Internacional por 2x0. De lá pra cá acumula dois empates e três derrotas. 

A sequência da Chape no Brasileiro é ainda pior que a do Bahia já que os catarinenses acumulam cinco jogos sem vencer. A última delas foi uma goleada contra o São Paulo no Morumbi e custou a cabeça de Ney Franco no comando do time. Para o jogo deste domingo (26), quem estará na área técnica do Índio Condá é o auxiliar Emerson Cris, velho conhecido da torcida tricolor em seus tempos de atleta.
 

Confira histórico do Bahia contra a Chapecoense:

2014

Chapecoense 2x1 Bahia

Bahia 0x1 Chapecoense

2017

Chapecoense 1x1 Bahia

Bahia 0x1 Chapecoense

2018

Chapecoense 1x1 Bahia

Bahia 1x Chapecoense

*supervisão do editor Herbem Gramacho

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas