Contrato do Vitória com Fonte Nova ainda não está em vigor; entenda

e.c. vitória
23.10.2019, 17:28:00
Atualizado: 24.10.2019, 10:58:30
Torcida do Vitória na Fonte Nova, no jogo contra o Guarani (Pietro Carpi / EC Vitória)

Contrato do Vitória com Fonte Nova ainda não está em vigor; entenda

Vínculo definitivo começará em dezembro ou pode ser adiado

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Nesta quinta-feira (23), o Vitória informou que mandará os seus jogos restantes na Série B no Barradão, e não mais na Fonte Nova. O contrato assinado com a arena, até o final de 2022, no entanto, não será comprometido.

O CORREIO apurou que o contrato definitivo, com duração de três anos, assinado em setembro, entraria em vigor somente a partir de dezembro, portanto, após a Série B, que termina no dia 30 de novembro. Para jogar na arena ainda em 2019, Vitória e Fonte Nova firmaram acordos pontuais, analisados jogo a jogo. Esse acerto não foi divulgado na ocasião.

Na prática, seria uma espécie de "teste" antes do contrato definitivo. O Vitória ainda teria nove jogos em casa até o final da Série B, e em sete deles a Fonte Nova teria disponibilidade de datas: Guarani, Atlético-GO, Sport, Oeste, Figueirense, Brasil de Pelotas e CRB.

O duelo com o Guarani deu lucro de R$ 284 mil. Os jogos contra Atlético-GO e Sport, porém, deram prejuízos de R$ 81 mil e R$ 75 mil, respectivamente. Como o resultado era apurado jogo a jogo, esses números pesaram para o retorno ao Barradão. Além disso, o fator técnico, já que o Vitória perdeu para o Guarani (1x0) e empatou com Atlético-GO (0x0) e Sport (2x2).

Ainda segundo apurou o CORREIO, Vitória e Fonte Nova também poderão adiar por tempo indeterminado o início do contrato definitivo. Se achar por bem, as partes poderão, por exemplo, adiar o início da parceria para o começo do próximo Brasileiro, pulando Campeonato Baiano e Copa do Nordeste, ou sequer iniciar.

Ainda assim, mesmo que não ponha em prática o pacote fechado com validade de três anos, o Vitória poderia negociar jogos pontuais com a Fonte Nova para a temporada 2020 - assim como 2021 e 2022 também.

Como ficam os sócios?
As novas categorias do plano de sócio Sou Mais Vitória criadas após a assinatura com a Fonte Nova serão mantidas no Barradão. A Rubi, com mensalidade de R$ 90, dividirá o espaço das cadeiras, na faixa central do campo, com os sócios Ouro.

A Topázio, com mensalidade de R$ 45 e voltada para pessoas de baixa renda, dividirá espaço com os sócios Prata no fundo de cada gol. E a Diamante, que custa R$ 240, ficará em um camarote. Essa configuração é a mesma que ocorreu nos jogos contra Oeste e Londrina.

Como o contrato definitivo ainda não entrou em vigor, a Fonte Nova não recebeu nada até agora do plano de sócios. A divisão de receita só acontecerá nesta condição.

Ao mesmo tempo, o Vitória iniciou um processo de setorização do Barradão. Começou pela criação do setor popular, com ingressos a partir de R$ 10, já em vigor. Em breve, vai separar o setor de cadeiras para que o sócio Rubi fique nas laterais e o Ouro, mais centralizado.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas