Coragem digital como legado da covid-19

artigo
21.05.2020, 15:50:42

Coragem digital como legado da covid-19


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.


O que estamos experimentando, com o distanciamento social para enfrentar a covid-19, é a evolução de um modelo de trabalho que, provavelmente nos nossos planos, chegaria somente em alguns anos. Por quê? Porque não tínhamos “coragem digital”. O que aconteceu nos obrigou, da noite para o dia, a mudar a forma de trabalhar e de nos relacionar com colaboradores e clientes. E nós, executivos, temos que fazer mea-culpa, porque não era uma questão tecnológica, pois tudo está funcionando. Era um problema do nosso medo de dar esse passo. É o medo da inovação e do que é incerto, que é também o álibi para não avançar. 

A coragem digital será o maior legado da covid-19 para o setor empresarial. Trata-se da capacidade de enfrentarmos os receios em fazer uso de ferramentas digitais que a tecnologia já oferece, mas que víamos como soluções menos eficazes, simplesmente por não termos experimentado. Essa crise trouxe a oportunidade para que diversos setores pudessem inovar rapidamente para continuar garantindo o atendimento aos clientes e a continuidade dos negócios. 

Em situação normal, uma grande empresa que quisesse migrar milhares de funcionários para o sistema de home office, levaria de dois a três anos. Seriam meses para chegar ao consenso e à tomada de decisões dos executivos, seguidos por meses de estabelecimento de planos e processos, e outros meses de testes e treinamentos. No entanto, a urgência da adoção do distanciamento social reduziu esse tempo para até três dias, como ocorreu com os colaboradores de gestão de rede e de call center em nossa companhia.

Um possível mea-culpa para nós, executivos, é que devemos ter coragem para cobrar que nossos times sejam mais inovadores. Enquanto a inovação não vem debaixo para cima, tem que chegar de cima para baixo. E seria preferível que chegasse da visão dos executivos e não de um contexto emergencial externo.

Muitas coisas já evoluíram de forma irreversível e não voltarão como antes do covid-19. A imersão na tecnologia já migrou funções e atividades operacionais num contexto cada vez mais digital e remotizado. Mas o relacionamento presencial com os clientes certamente continuará e, no setor de telecom, será muito mais de consultoria, para propor ofertas e soluções que proporcionem a melhor experiência de uso para os consumidores.

A adoção em massa do home office nos leva a crer que o período pós-crise será marcado por uma consciência maior sobre a necessidade de equilibrar a vida privada e o trabalho. Qual é o valor de não perder tempo no deslocamento entre a casa e o escritório? Se pensarmos em um gasto de uma hora e meia, estamos falando, em média, de cerca de 10% das nossas vidas. 

Para que esse novo ambiente de pessoas e máquinas trabalhando remotamente opere em seu pleno potencial, o 5G será o elemento essencial. Se a tecnologia já estivesse em uso, teríamos soluções de telemedicina ou de ensino a distância, duas das áreas de extrema importância. O 5G não é apenas um recurso para as operadoras de telecomunicações. É um fator habilitante para o crescimento da economia e o desenvolvimento de novos modelos de negócios. E, mais uma vez, a coragem digital irá se tornar determinante para iniciarmos uma nova era tecnológica.

Pietro Labriola é CEO da TIM Brasil

Opiniões e conceitos expressos nos artigos são de responsabilidade dos autores

***

O CORREIO entende a preocupação diante da pandemia do novo coronavírus e que a necessidade de informação profissional nesse momento é vital para ajudar a população. Por isso, desde o dia 16 de março, decidimos abrir o conteúdo das reportagens relacionadas à pandemia também para não assinantes. O CORREIO está fazendo um serviço de excelência para te manter a par de todos os últimos acontecimentos com notícias bem apuradas da Bahia, Brasil e Mundo. Colabore para que isso continue sendo feito da melhor forma possível. Assine o jornal.


Relacionadas
Correio.play
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/editorial-fotografado-a-distancia-une-tres-paises-na-quarentena/
O ensaio foi realizado pela plataforma Zoom, usando celular
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/bau-de-marrom-a-bahia-tambem-ensina-ao-mundo-como-cantar-e-dancar-forro/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/copo-de-leite-faz-haddad-acusar-bolsonaro-de-brindar-supremacistas-brancos-entenda/
Leite tem sido usado como símbolo por neonazistas nos EUA; petista enxergou provocação após repercussão de mortes de homens negros. Presidente nega
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/anastacia-comemora-80-anos-com-muito-forro/
Cantora e compositora lança EP com produção de Zeca Baleiro e parcerias com Mariana Aydar, Chico César e Amelinha
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/nizan-guanes-vai-entrevistar-roberto-medina-abilio-diniz-e-washington-olivetto/
As entrevistas são parte do Sunday Night Live que o publicitário tem realizado em sua conta do Instagram
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/luiz-caldas-substitui-sanfona-por-guitarra-em-disco-de-forro/
Álbum é o centésimo em projeto do músico que prevê um lançamento temático por mês
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/youtuber-compra-mansao-de-r-65-milhoes-apenas-para-gravar-videos/
Camila Loures disse que seguirá morando em sua antiga residência
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/daniela-faz-live-nesta-sexta-feira-29-com-transmissao-no-multishow/
Apresentação da cantora será em casa e terá clássicos como O Canto da Cidade, além de canções novas
Ler Mais