Corpo de jovem que sumiu após ser retirada de churrasco é achado em praia no Rio

brasil
13.01.2021, 15:23:00
Atualizado: 13.01.2021, 15:23:56
(Reprodução)

Corpo de jovem que sumiu após ser retirada de churrasco é achado em praia no Rio

Familiares e amigos acreditam que Bianca foi morta pelo ex, que é traficante

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um exame de impressões digitais confirmou nesta quarta-feira (13) que um corpo achado mutilado e boiando em uma praia da Ilha do Fundão, no Rio de Janeiro, é de Bianca Lourenço, de 24 anos. A jovem estava desaparecida desde o último dia 3, quando foi retirada à força de um churrasco de amigos. 

A suspeita de amigos e familiares é que o ex-namorado de Bianca, Dalton Vieira Santana, apontado como líder do tráfico da Favela da Kelson's, na Penha, esteja por trás do crime. 

O corpo de Bianca foi achado ontem. A polícia já havia dito que o cadáver tinha tatuagens compatíveis com a da jovem e agora a identidade foi confirmada pelo exame. A Polícia Militar localizou o corpo após informações recebidas no Disque Denúncia.

Ex não aceitava fim
Bianca terminou o relacionamento com Dalton, mas ele não se conformava. Como ele ameaçava e seguia a jovem, a família acredita que ela foi morta por ele ou a mando dele. A polícia até agora não divulgou suspeitos. 

Bianca estava em um churrasco com amigos no último dia 3 quando foi retirada do local à força. De lá, foi levada para a favela da Kelson's, com Dalton, e sumiu. Quatro dias depois, desesperado o pai de Bianca foi até a comunidade onde ela desapareceu para falar com o ex da jovem e fazer um apelo. 

"Para todos, ele falou que matou ela. Não falou para mim, mas falou para outros. Falou que tinha colocado ela num carro, e que tinha mandado ela embora. Mentira. Que ela já tinha que estar aqui em casa há muito tempo, se isso fosse verdade", disse ele ao G1 RJ. "Pedi a ele pra me ajudar se ele pudesse... Se tivesse acontecido, se ele pudesse devolver o corpo da minha filha, que poderia me entregar do jeito que tivesse, que ele poderia me tirar pelo menos a dor de pai, pelo menos de eu poder enterrar minha filha",

Para preservar a filha, o pai já tinha se mudado há dois meses da favela com ela. Ele contou que tinha preocupação com a segurança da família, a quem convenceu terminar o namoro com o traficante. "Tentei tirar ela de todo jeito da favela. Eu já estava ajeitando o quarto dela, as coisas dela", contou.

No mesmo dia em que desapareceu, Bianca fez um post falando de paz. "Não existe nada melhor do que acordar em paz, estar em paz, viver em paz... Não me preocupo com mais nada. Obrigada, meu Deus"

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas