CORREIO encerra exposição 'Día de los muertos en México' com Caso Geovane

salvador
13.07.2019, 05:00:00

CORREIO encerra exposição 'Día de los muertos en México' com Caso Geovane

Repórter Bruno Wendel participa de mesa redonda neste sábado, no Palacete das Artes

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

“Notícias da morte, relatos da vida” é o tema de uma mesa redonda que acontece no Palacete das Artes, na Graça, neste sábado (13), às 16h. O encontro encerra a programação da exposição “Día de los muertos en México”, à disposição do público no primeiro pavimento do Museu Rodin até domingo (14).

O evento terá como palestrantes a psicóloga e professora do curso de Psicologia da FSBA, Izaura Furtado, com o tema "A morte interpretada e vivida em diferentes culturas"; a jornalista Bárbara Souza, coordenadora do curso de Jornalismo da FSBA, que falará sobre "A morte como notícia: a dor da gente sai no jornal", além de Bruno Wendel, jornalista e repórter do Correio, que abordará o tema "A notícia da morte: muito além do Caso Geovane". A entrada é gratuita.

Caso Goevane
O desaparecimento de Geovane Mascarenhas Santana, então com 22 anos, foi revelado pelo CORREIO em 13 de agosto de 2014, em uma reportagem de Bruno Wendel.

O jovem, após uma violenta abordagem policial no bairro da Calçada, registrada em vídeo, foi colocado no fundo de uma viatura.

A série de reportagens “Onde está Geovane?” contou a saga de Jurandhy em busca do paradeiro do filho e resultou em um desfecho surpreendente: o rapaz foi morto por decapitação dentro de uma base da Polícia Militar e teve o corpo desmembrado para dificultar a investigação – 11 policiais militares foram denunciados pelo Ministério Público do Estado (MPE), sendo que sete irão à júri popular.

Relembre: Onde está Geovane?

Sem Descanso
A saga deu vida ao documentário Sem Descanso, lançando em novembro do ano passado durante o Panorama Internacional Coisa de Cinema, o mais importante festival de cinema da Bahia. 

O filme Sem Descanso mostra desde a abordagem até o enterro de Geovane, que foi encontrado carbonizado, decapitado e sem as mãos, dois dias após a publicação da primeira reportagem, e os desdobramentos do caso. Sem Descanso foi lançado em novembro do ano passado, durante o Panorama Internacional Coisa de Cinema, o mais importante festival de cinema da Bahia.

Festival
Depois de emocionar o Brasil, a saga ficou conhecida do outro lado do Atlântico. O documentário foi apresentado no 21º Festival de Documentários de Thessaloniki, na Grécia, em março deste ano, em sua estreia internacional. 

“Ficamos felizes de ter sido selecionados pelo Festival de Thessaloniki porque se trata de um dos mais antigos e conceituados da Europa”, afirmou na ocasisão o diretor do documentário, o cineasta francês Bernard Attal. De acordo com o site do festival, após a exibição, o filme foi aplaudido de pé pelo público.  

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas