Criança de um ano morre por H1N1 e é a 11ª vítima do vírus em Salvador 

salvador
17.05.2018, 21:12:10
Até o momento, apenas 35,6 % das crianças de Salvador foram imunizadas contra o H1N1 (Foto: Marina Silva/Arquivo CORREIO)

Criança de um ano morre por H1N1 e é a 11ª vítima do vírus em Salvador 

Postos de vacinação serão ampliados a partir desta sexta-feira (18)

Uma criança de um ano morreu em decorrência de contaminação por H1N1 no último fim de semana. Ela estava internada no Hospital Santo Antônio e foi a 11ª vítima do vírus na capital baiana. A informação foi confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) nesta quinta-feira (17).

Até o momento, apenas 35,6 % das crianças de Salvador foram imunizadas contra o H1N1. O número é considerado baixo pela Secretaria, mesmo porque duas crianças já morreram na capital, vítima da influenza. Iniciada no dia 23 de abril, a campanha de vacinação contra a gripe em Salvador já imunizou cerca de 322 mil indivíduos, o que corresponde a 53% de cobertura. 

Para ampliar a faixa de imunizados, a partir desta sexta-feira 18), a SMS vai disponibilizar mais locais de vacinação.O imunizante será disponibilizado nos locais onde estão os principais grupos prioritários: crianças menores de 05 anos, gestantes, puérperas, profissionais de saúde, idosos e pessoas privadas de liberdade.

Os agentes de saúde irão em abrigos, creches, escolas, hospitais, maternidades e delegacias. Já para atender aos idosos acamados, a SMS pede que um familiar faça o agendamento na unidade de saúde mais próxima de casa. É necessário apresentar documento de identificação, cartão SUS e comprovante de residência.

Resistência
"Estamos percebendo uma certa resistência por parte da população em procurar os postos, apesar de todo o empenho da pasta no sentido de conscientizá-los da importância da vacinação. Temos pressa em proteger nossas crianças, idosos, gestantes e demais grupos elegíveis, já que nesse ano são onze óbitos contabilizados por conta do agravo”, pontuou Doiane Lemos, subcoordenadora de Doenças Imunopreveníveis de Salvador. 

A meta é vacinar até o dia 1º de junho pelo menos 90% das 541.451 pessoas que compõem a população alvo na capital, conforme recomendado pelo Ministério da Saúde. O antígeno está disponível nas 126 salas de vacinação da capital, nos postos de saúde, que funcionam de segunda a sexta-feira (exceto feriado), das 8h às 17h. 

“É importante não deixar para a última hora já que a vacina leva de 7 a 10 dias para fazer efeito no organismo. Ainda temos dois meses chuvosos nesse primeiro semestre do ano com temperaturas mais baixas, quando as pessoas permanecem mais tempo em locais fechados propícios à circulação do vírus e consequentemente à contaminação da doença”, finalizou Doiane Lemos.

Proliferação
Segundo a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), até o dia 12 de maio 15 óbitos e 114 casos de H1N1 haviam sido confirmados no estado. Após esta data, um caso da doença foi registrado pela Prefeitura de Itaberaba. A paciente está internada em estado grave em um hospital de Feira de Santana. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas