Dado Cavalcanti sobre pênalti a favor do Inter: 'Foi muito duvidoso'

e.c. bahia
14.06.2021, 00:47:00
Atualizado: 14.06.2021, 00:48:43
Técnico Dado Cavalcanti durante derrota por 1x0 para o Internacional, em Pituaçu (FELIPE OLIVEIRA / ECBAHIA)

Dado Cavalcanti sobre pênalti a favor do Inter: 'Foi muito duvidoso'

Técnico analisou a derrota do Bahia, por 1x0, no Brasileirão

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Dado Cavalcanti não ficou satisfeito com a atuação do Bahia diante do Internacional e deixou isso claro na entrevista coletiva concedida após a derrota por 1x0 na noite deste domingo (13), em Pituaçu. O jogo foi válido pela 3ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. 

"Fomos bem abaixo. Entendo que nossa equipe é muito intensa, agressiva, que marca alto, joga com agressividade. Todas essas variáveis, existe um motor primário. A intensidade que damos necessita de uma melhor condição inicial dos nossos atletas. Hoje não tinha ninguém 100% em campo. Talvez dois jogadores: Juninho e Matheus Teixeira. Daniel, mesmo ficando fora, teve problema na coxa, passou por um período de recuperação", avaliou o treinador tricolor.

O único gol do jogo foi marcado de pênalti, por Edenílson, aos 30 minutos do primeiro tempo, após lance iniciado em erro de saída de bola do Bahia. O próprio autor tentou driblar o goleiro Matheus Teixeira, buscou o contato físico e arbitragem marcou falta dentro da área. Dado Cavalcanti comentou a marcação da penalidade.

"Revi o lance, particularmente não entendo como pênalti. A única coisa que faltou foi o Matheus Teixeira sair da frente. Ele faz o movimento para o lado, tira o corpo, tira as mãos, e o jogador tromba. Da próxima vez, ele vai ter que sair do meio para que o jogador passe, estender um tapete vermelho, talvez. Essa é minha opinião. Também estranhei o fato de o VAR não ter chamado o árbitro. Acho que foi muito duvidoso. Valeria uma revisão na cabine do VAR para decidir. Enfim, paciência".

No começo do segundo tempo, o Bahia ficou com um jogador a menos após Lucas Ribeiro, ex-Vitória, ser expulso de campo, mas não aproveitou a vantagem numérica e seguiu apresentando baixo rendimento. 

"Individualmente tivemos uma noite ruim, coletivamente não fomos efetivos. Talvez peças que entraram foram contagiadas pelo momento ruim. Campeonato longo, jogos assim acontecem. Esperamos ter a maturidade suficiente para entender o que aconteceu hoje e, lógico, não repetir", afirmou.

"Nossa equipe foi muito ansiosa no jogo de hoje. Nível de performance foi muito diferente do nosso ideal. Entramos com a formação que entendo ideal, repetindo, pegando entrosamento. Mas repetição de escalação também traz desgaste. Período muito pequeno de um jogo para outro e alguns jogadores sentem mais. Hoje foi isso", lamentou Dado.

Com o resultado, o Bahia caiu três posições na tabela e agora ocupa a 8ª posição, com quatro pontos. O tricolor volta a entrar em campo na quinta-feira (17), às 19h, quando visita o Ceará, no estádio Castelão, em Fortaleza, em jogo válido pela 4ª rodada da Série A do Brasileiro. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas