Dado vê 'grande evolução' do ataque do Vitória: 'No caminho certo'

e.c. vitória
28.01.2022, 15:46:00
Dado Cavalcanti em treino do Vitória (Pietro Carpi/EC Vitória)

Dado vê 'grande evolução' do ataque do Vitória: 'No caminho certo'

Leão sofreu com o setor ofensivo em 2021 e precisa melhorar os números para não passar sufoco na atual temporada

O desempenho ruim do setor ofensivo foi determinante para o rebaixamento do Vitória no ano passado. O Leão terminou a Série B de 2021 com o segundo pior ataque, ao lado de Londrina e Remo, com 31 gols marcados em 38 jogos. Em 2022, será preciso melhorar o quesito para cumprir a principal missão da temporada: retornar à segunda divisão.

Até aqui, a equipe rubro-negra balançou as redes rivais duas vezes em dois jogos. Empatou com a Juazeirense em 1x1 e ganhou do Barcelona de Ilhéus por 1x0, ambos pelo Campeonato Baiano. Para o técnico Dado Cavalcanti, apesar dos números ainda serem magros, já há uma melhora no setor.

"A principal função de uma equipe como um todo é levar a bola o mais limpa possível para o último terço. Acredito que conseguimos uma grande evolução nesse aspecto. E talvez por essa evolução, surgiram muitas oportunidades de gol", disse o técnico, em entrevista coletiva nesta sexta-feira (28).

Segundo o treinador, a sequência de jogos ajudará o time a melhorar. Neste sábado (29), o Vitória fará seu terceiro jogo da temporada, contra o Jacuipense, pelo Campeonato Baiano. O duelo está marcado para às 16h, no Barradão - o mando de campo, porém, será do time do interior.

"As correções do último terço envolvem o coletivo, o individual, e também sequência de jogos. O entrosamento, o conhecimento que um companheiro tem do outro para saber qual o momento de fazer melhor o passe, saber quem é destro ou canhoto, saber se joga a bola no espaço no pé. Antes mesmo da finalização, o ajuste da última bola pode ser melhor. É nisso que a gente dará ênfase, fará trabalhos específicos", afirmou Dado.

O técnico ainda revelou que o trabalho de finalização recebeu uma atenção especial ao longo desta semana.

"Não esquecendo o fundamento especial que é a finalização. O último toque, chute, definição, a gente trabalhou bem essa semana, com ajustes mais individuais. O treino e sequência de jogos vão nos dar a possibilidade de evolução".

Na vitória sobre o Barcelona de Ilhéus, quem marcou foi o meia Eduardo. Já Guilherme Queiroz foi o responsável pelo primeiro gol do time no ano. Ele foi um dos 14 reforços contratados para a temporada, e um dos cinco atacantes - além dele, chegaram para a posição Erik, Roberto, Luidy e Jefferson Renan.  Para Dado, alguns jogadores ainda vão mostrar mais serviço.

"Eu entendo que nós evoluímos bem. Ainda há muita coisa para fazer, muito ajuste a ser feito. Temos ainda algumas peças dentro do nosso elenco que vão contribuir mais para nossa equipe. Mas entendo que estamos no caminho certo"

Veja outros trechos da entrevista de Dado Cavalcanti:

Grupo tem assimilado ideias de jogo?
Acredito que sim. Falo isso sendo bem realista, independente dos resultados. Pensando em performance, em ideias de jogo. A cada jogo, já que os feedbacks são colhidos muito mais nos jogos. A gente tem reforçado nossa ideia, nossa forma de jogar, criando assim uma identidade. Isso é o que me preocupa. Uma equipe de futebol sem identidade não é nada. Estamos criando ainda nossa identidade, mas as ideias estão sendo assimiladas. Espero que a gente consiga combinar essa identidade com vitórias expressivas, com conquistas. Isso é o que todo mundo espera.

Ambiente na Toca
Nós temos um ambiente leve. Temos um grupo de jogadores comprometidos, muitos guerreiros que aspiram um lugar ao sol no cenário do futebol nacional. Muita gente ambiciosa dentro do nosso grupo, isso é bom. Principalmente os jovens, querendo vencer. Dos jogadores mais experientes, mais rodados, vividos, trouxemos para nosso dia a dia os bons exemplos. Algumas lideranças positivas, como Jadson, Ewerton Páscoa, Alan, mesmo sendo um pouco mais introvertido, é um cara que está sempre dando bons conselhos, boas palavras. Roberto também, um cara extremamente vitorioso na sua carreira, que está agregando muito. Essa união entre esses dois lados de um mesmo grupo vem fazendo com que nosso ambiente interno seja cada vez melhor.

Evolução
Eu não avalio evolução em treino. Treino traz realidades diferentes de jogos. O jogo tem o aspecto competitivo, um adversário que veste uma camisa diferente do outro lado. Tem torcida, imprensa, transmissão. Outros ingredientes totalmente diferentes de treinamento. Treinamento serve para buscar as correções. Mas a evolução eu meço em jogos. Vou esperar o jogo contra o Jacuipense para fazer uma nova avaliação.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas