De partida, Gregore vibra com vaga na Sula e brinca sobre cartões

e.c. bahia
25.02.2021, 23:58:00
Atualizado: 26.02.2021, 00:03:29
Contra o Santos, Gregore fez o último jogo pelo Bahia (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

De partida, Gregore vibra com vaga na Sula e brinca sobre cartões

Volante se despede do tricolor e vai jogar no futebol dos Estados Unidos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O último jogo do Bahia na temporada 2020, representou também o fim do ciclo do volante Gregore no tricolor. Na noite desta quinta-feira (25), o camisa 28 entrou em campo se despedindo do clube. Ele foi negociado com o Inter Miami e jogará nos Estados Unidos.

O ato final pelo Esquadrão veio com recompensa. O triunfo por 2x0, garantiu o Bahia na Copa Sul-Americana. Após o jogo, Gregore se disse aliviado e feliz por ter conquistado o objetivo.

“Como tinha chance de classificar para a Sula, era um jogo muito importante. A despedida vai ser depois desse feito. Estávamos brigando contra o rebaixamento, meio nervoso, as negociações estavam se encaminhando, mas eu não queria deixar o Bahia nessa situação, então fico muito feliz”, disse ele.

Apesar de reconhecer que a temporada como um todo foi ruim, Gregore avaliou como positiva a reta final. Segundo ele, os jogadores se comprometeram em deixar o Bahia na melhor colocação possível no Campeonato Brasileiro.  

“O grupo abraçou o projeto. A gente tinha o objetivo de brigar em cima, mas as coisas foram acontecendo e a gente tinha que se adaptar. Jogamos mal boa parte do campeonato, agora no final o elenco se comprometeu em deixar a vida, deixamos um pouco as nossas famílias em casa para abraçar o projeto e fomos coroados com essa vaga na Sula”, continuou ele.

Conhecido pela raça em campo, o volante brincou ainda sobre o feito de não ter levado cartões no jogo e afirmou que tem buscado evoluir na questão da disciplina.   

“Estava até brincando com o pessoal do staff, eles ficam falando que eu estava batendo recorde, bastante tempo sem levar cartão. A gente busca a evolução. Enquanto estiver vivo temos que procurar evoluir, eu busco isso no clube e entregar também um pouco desse carinho que eles têm por mim. Tento devolver dentro de campo”, finalizou.

Agora sem Gregore, o Bahia não terá muito tempo para comemorar a vaga na Sula e corrigir os erros cometidos ao logo de 2020. A temporada 2021 já está em andamento e neste domingo (28), o Esquadrão estreia na Copa do Nordeste contra o Salgueiro, em Pernambuco.

Por conta do calendário apertado e o ritmo intenso de jogos, o elenco principal vai ganhar alguns dias de folga e o clube será representado pela equipe de transição na primeira rodada do Nordestão.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas