Declarações “vazadas” de Lula sobre crise econômica são públicas e foram feitas em 2016

brasil
26.05.2022, 19:58:40
(Foto: Projeto Comprova)

Declarações “vazadas” de Lula sobre crise econômica são públicas e foram feitas em 2016

No vídeo, Lula critica a política econômica de sua sucessora, Dilma Rousseff, mas não culpa o PT pela crise

Enganoso
É enganoso um vídeo que circula sem contexto, no qual o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fala sobre a crise econômica no país e afirma que a União está falida. O conteúdo insinua que a gravação foi "vazada" e que Lula teria admitido que o Partido dos Trabalhadores (PT) seria o responsável pelas dívidas do Brasil. Na realidade, o trecho foi recortado de um vídeo de 2016 em que Lula comenta sobre a política e economia brasileiras para apoiadores e intelectuais. Ele critica a política econômica de sua sucessora, Dilma Rousseff, mas não culpa o PT pela crise.

Conteúdo investigado: Vídeo de 2 minutos e 40 segundos em que o ex-presidente Lula fala sobre a economia no Brasil e afirma que a União está quebrada. Na gravação estão inseridas as legendas “Vazou!” e “Lula assume que PT quebrou o País”, dando a entender que a fala teria sido gravada de forma clandestina.

Onde foi publicado: TikTok.

Conclusão do Comprova: É enganoso o vídeo no qual o ex-presidente Lula fala sobre a crise econômica no país e a queda no poder de investimento do Estado. O conteúdo, que está sendo divulgado fora de contexto, sugere que a gravação foi “vazada” e que Lula teria admitido que o PT seria o responsável pelo colapso financeiro do Brasil.

O trecho, na verdade, foi retirado de uma gravação de 1h17 de duração, feita em 2016 durante um encontro entre o ex-presidente e apoiadores, e transmitida pelas redes sociais de Lula. São, portanto, declarações públicas.

Na ocasião, Lula criticou a política de desoneração fiscal de Dilma Rousseff (PT), quando ocupava a presidência da República, e apontou diversos motivos para a instabilidade na economia do Brasil, como os custos da Operação Lava Jato – responsável pela posterior prisão do petista – e a destinação de políticas de crédito e financiamento do governo.

O Comprova classifica como enganoso todo conteúdo retirado do contexto original e usado em outro de modo que seu significado sofra alterações.

Alcance da publicação: O Comprova investiga os conteúdos suspeitos de maior alcance nas redes sociais. Até o dia 26 de maio, a publicação teve mais de 438 mil interações, entre visualizações, curtidas, comentários e compartilhamentos no TikTok.

O que diz o autor da publicação: Não foi possível entrar em contato com a responsável pelo post através do TikTok porque a plataforma não permite o envio de mensagens. O Comprova então buscou pelo nome da autora em outras redes sociais e encontrou um perfil no Instagram que possui conteúdos coincidentes com aqueles publicados no TikTok. Uma mensagem foi encaminhada, mas não houve retorno até o fechamento desta checagem.

Como verificamos: A partir de uma busca no Google pelas palavras-chave “Lula”, “desoneração” e “PT quebrou o país”, o Comprova encontrou uma checagem do mesmo conteúdo feita pelo Estadão Verifica.

Com base no material, descobrimos que o fragmento que viralizou nas redes sociais é parte de um vídeo gravado em 2 de dezembro de 2016 durante um encontro do ex-presidente com apoiadores.

Na época, a gravação foi transmitida ao vivo pelo Facebook de Lula e a fala do petista foi repercutida na imprensa nacional (Estadão e Metrópoles).

O Comprova também buscou a assessoria do ex-presidente para esclarecer o contexto do vídeo, mas não houve resposta.

O encontro
No dia 2 de dezembro de 2016, um grupo de intelectuais e artistas lançou, no Rio de Janeiro, um “observatório da legalidade com Lula”, criado com o objetivo de acompanhar os processos judiciais contra o ex-presidente.

Segundo matéria publicada no site de Lula, entre os presentes no lançamento estavam a cantora Beth Carvalho, o escritor Fernando Moraes, o então senador pelo PT do Rio de Janeiro Lindbergh Farias e o deputado federal Wadih Damous (PT-RJ).

Após a fala de algumas pessoas, o ex-presidente comentou sobre os processos da Operação Lava Jato, a situação econômica do Brasil e o seu futuro na política.

Na ocasião, conforme noticiado pelos jornais Estadão e Metrópoles, Lula disse ser a pessoa que poderia “resistir a essa euforia da insanidade judicial” e ainda afirmou que poderia ser candidato ao Palácio do Planalto nas eleições seguintes, de 2018.

O encontro durou cerca de 1h17 e foi transmitido ao vivo pelo Facebook de Lula.

Motivos citados por Lula para a crise econômica do Brasil
O trecho verificado pelo Comprova, que pode ser encontrado entre os minutos 00:58:51 e 01:08:21 do vídeo original, começa com a seguinte frase dita pelo ex-presidente: “Foi uma desoneração que significou R$ 500 bilhões a menos de entrada de dinheiro dentro do cofre do Estado. Então o Estado está falido, a União.”

Com base na gravação original, é possível afirmar que Lula se referia à política de desonerações de sua sucessora, Dilma Rousseff. O ex-presidente criticou os benefícios fiscais concedidos a empresas na gestão dela, mas não a culpou explicitamente pela crise econômica.

Este comentário não era de uma opinião mantida apenas nos bastidores, como sugere o vídeo investigado. Lula já havia se posicionado sobre o assunto antes mesmo do encontro, quando concedeu uma entrevista ao jornal francês Libération, em julho de 2016 (matéria do site do PT). “Dilma reconhece que sua política de desoneração fiscal às empresas, que reduziu a arrecadação do Estado, foi longe demais. Entre 2011 e 2015, o Estado renunciou a cerca de R$ 500 bilhões. E, fato muito grave, sem exigir nada em troca do patronato”, disse.

Além da política de desoneração, Lula mencionou outras razões para a crise na economia que não são mostradas no trecho do vídeo que viralizou nas redes sociais, segundo o qual ele atribuía os problemas apenas a seu partido, o PT. Entre essas causas, Lula cita a Operação Lava Jato: “Eles têm noção de quanto a Operação Lava Jato já causou de prejuízo na economia desse país? Ao PIB desse país? Eles têm noção de quanto desemprego [a Lava Jato] já causou?”, falou entre os minutos 01:12:01 e 01:12:14.

Em maio de 2020, em declaração à rádio Jovem Pan de Aracaju, em Sergipe, Lula disse acreditar que “o país só não quebrou por causa do PT”. “O Brasil só está de pé por causa do PT. Eu ontem vi o [Paulo] Guedes dizendo que as reservas internacionais deixadas pelo PT vão render R$ 500 bilhões ao Tesouro. Se não fosse isso, o país não estava conseguindo importar um palito de dente”, afirmou.

Por que investigamos: O Comprova investiga conteúdos suspeitos que viralizaram nas redes sociais sobre a pandemia de covid-19, políticas públicas do governo federal e eleições presidenciais. O conteúdo investigado refere-se a um pré-candidato à presidência do país. Informações enganosas que envolvem atores políticos não contribuem para o processo democrático e ferem o direito do eleitor de escolher representantes com base em informações verdadeiras.

Outras checagens sobre o tema: Em 13 de maio, o Estadão Verifica checou o conteúdo e concluiu que o vídeo foi retirado do contexto original e usado de forma a induzir o público a uma interpretação equivocada. Anteriormente, o Comprova mostrou que série sobre fome do Jornal Nacional foi ao ar antes da chegada do PT ao poder, que o Fies foi criado no governo de FHC, não na gestão Lula e que vídeo engana sobre empréstimos do BNDES no governo Lula.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas