Deserto: pedestres somem das ruas em sábado de lockdown

salvador
27.02.2021, 10:40:00
Atualizado: 27.02.2021, 13:44:57

Deserto: pedestres somem das ruas em sábado de lockdown

Pessoas ficaram em casa e pontos de aglomeração ficaram vazios

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O decreto que suspendeu atividades não essenciais na Bahia nesse fim de semana causou efeito no movimento de pedestres em Salvador. Regiões da cidade que tem agitação intensa aos sábados, hoje estavam esvaziadas. Cheios mesmo, só os postos de vacinação, que chegaram a formar uma fila de 3km no 5º Centro.

Na Barra, atletas usaram o calçadão para correr, caminhar e pedalar, mas o movimento foi abaixo do normal. Já as areias ficaram desertas. Guardas municipais marcaram presença para garantir que ninguém desrespeitasse o decreto que fechou todas as praias da cidade desde a quarta-feira.

Na Lapa, as plataformas ficaram desertas. Poucos passageiros usaram o terminal. A Avenida Sete de Setembro, centro efervescente de compras, ficou irreconhecível. Com o comércio de rua fechado, as calçadas, que aos sábados transbordam de pedestres, ficaram vazias. 

Barra
Barra (Gil Santos/CORREIO)
Comércio
Comércio (Gil Santos/CORREIO)
Lapa
Lapa (Gil Santos/CORREIO)
Avenida Sete
Avenida Sete (Gil Santos/CORREIO)

O mesmo aconteceu com o Centro Histórico. O Elevador Lacerda está funcionando, mas o movimento na Praça Municipal foi tímido. No Comércio, ruas desertas de pessoas e de carros. 

Até o Terreiro de Jesus, parada obrigatória para os turistas que visitam Salvador, entrou em clima de lockdown. Nas ruas e becos apenas o silêncio se fazia presente. 

O decreto do Governo do Estado determina a suspensão das atividades essenciais das 17h de sexta-feira até às 5h de segunda-feira. Entre 20h e 5h, acontece o toque de recolher, por isso, quem estiver na rua precisa voltar para casa depois desse horário.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas