Desfile de ACM Neto no 2 de julho é marcado pelo corpo a corpo com população

bahia
02.07.2019, 16:27:00
Neto comemora a oportunidade de contato com a população (Foto: Divulgação)

Desfile de ACM Neto no 2 de julho é marcado pelo corpo a corpo com população

Prefeito de Salvador fez trajeto em mais de 2h30

Selfies, beijos, abraços, sorrisos e apertos de mão em ACM Neto (DEM). Em um trajeto de mais de 2h30, o penúltimo desfile de 2 de julho como prefeito foi marcado pelo corpo a corpo com a população. O percurso entre o Largo da Lapinha e a Prefeitura foi feito quase em zigue-zague por ele, que fazia questão de atender aos pedidos de selfie dos presentes.

Numa caminha particular, em que  desponta como um possível nome para disputar o Palácio Thomé de Souza no ano que vem, vice-prefeito Bruno Reis veio pouco atrás dele, em um grupo próprio. Alguns vereadores e secretários municipais também marcharam mais espaçados atrás de seu líder político. Militantes de partidos da oposição também seguiram  o prefeito de Salvador. 

Acompanhe em tempo real tudo que acontece no desfile do Dois de Julho

Em uma semana com pautas importantes na política nacional, como a Reforma da Previdência, alguns deputados federais aliados ao prefeito não compareceram ao desfile. Para o prefeito ACM Neto, no entanto, o que importa em festas populares é o contato com o povo. 

“Eu poderia estar aqui desfilando sozinho porque o que interessa é estar ao lado do povo. Essa é a grande questão do 2 de julho, do Bonfim, de Iemanjá, das festas de rua da Bahia, é a presença democrática de muitas pessoas, alguns partidários com seus direitos de levantar suas bandeiras mas, acima de tudo, essa coisa de uma prática livre, aberta e a oportunidade de interagir com o povo”, afirmou.

Para o prefeito, que terminou o desfile com manchas de batom e rímel no rosto pelo contato próximo com o público, o “termômetro” da rua, do contato com o povo, continua a todo vapor assim como em seu primeiro ano à frente da prefeitura em 2013. 

“É muito desafiador estar fazendo meu sétimo desfile do 2 de julho tendo esse carinho e essa troca de energia com as pessoas. É muito mais gratificante chegar perto do fim (do mandato) e ter o mesmo carinho e reconhecimento das pessoas. A gente sabe que isso hoje na política brasileira é muito raro e é o que eu mais valorizo. A cada momento que vai se aproximando mais do fim aumenta minha alegria de poder andar nas ruas, participar de um momento como esse e ver o reconhecimento das pessoas”, afirmou o prefeito.

2020
Durante o desfile, ACM Neto evitou confirmar possíveis nomes para a disputa da prefeitura pelo seu bloco político e afirmou que apenas irá tratar do assunto publicamente na virada deste ano.

Tido como sucessor natural do prefeito ACM Neto, o vice-prefeito Bruno Reis evitou falar sobre sua candidatura. Ele afirmou que ainda está cedo e destacou que irá trabalhar pela prefeitura.

Reis ainda avaliou positivamente a resposta que obteve do povo na rua. “São 20 anos na vida pública trabalhando por Salvador, subindo aos poucos, degrau a degrau, na humildade, e agora na condição de vice-prefeito ajudando muito o prefeito ACM Neto a governar a cidade. Essa manifestação reflete a vontade do coração de algumas pessoas”, completou.

“Transitórios”
A ausência do governador Rui Costa (PT) no desfile do Dois de julho foi criticada pelo prefeito ACM Neto. Apesar de considerar que “não fez falta” para ele, Neto lembrou que a celebração de 2 de julho é a mais importante do estado e não poderia ter sido deixada de lado.

“É de estranhar o governador ter optado por passar o Dois de Julho na Europa e não na Bahia, ao lado do nosso povo. É de estranhar essa decisão do governador. Agora cada um sabe a importância que dá ao patrimônio imaterial, à história e à cultura e à valorização da data maior da nossa terra, que é o Dois de Julho. No meu caso, não me permitiria estar fora do país em nenhuma hipótese, por nenhuma circunstância”, disse Neto. 

Mesmo com a ausência do governador, Neto afirmou que a festa continuou a mesma. “O Dois de julho está mostrando que é maior que Rui porque, mesmo com a ausência dele, a festa está aí cheia de gente na rua com essa energia extraordinária, esse momento tão especial que o povo baiano faz. Nós somos transitórios. Eu estou prefeito, outros tantos vieram antes de mim e virão depois de mim, mas a independência da Bahia fica, os momentos marcantes da Bahia, ficam e são maiores que os governantes de plantão”, disse.

Povo
Quem todos os anos vai para o cortejo ao Dois de julho é a aposentada Maria José Alves, de 87 anos, que aproveitou o desfile para tirar uma selfie com o prefeito ACM Neto. Além de afirmar gostar muito da festa, ela também disse estar sempre atrás de Neto. “Eu tenho uma coleção de foto com ele. Todo ano eu venho e ganho um abraço”, disse.

A cuidadora de idosos Salua Fahel, de 52 anos, mora no Dois de julho mesmo e afirmou ser “carlista doente” e sempre descer de sua casa para apreciar o cortejo. Ela conta que acompanhava os desfiles de ACM e agora prestigia o do neto. “Adoro ele. Para mim ele é perfeito. Se ele for prefeito, governador, presidente, eu voto nele”, disse.

Dois de julho
O presidente da Fundação Gregório de Mattos, Fernando Guerreiro, afirmou que há um projeto em execução para transformar o prédio onde os caboclos ficam ao longo do ano em memorial. A Fundação é responsável por organizar parte do desfile ao Dois de julho.

"Estamos trabalhando para fazer dessa casa um memorial. A ideia é que a gente consiga transformar esse ponto. Com dois aspectos interessantes: que as pessoas da cidade consigam conhecer melhor a história do Dois de Julho e também transformar isso aqui em um ponto turístico. A Lapinha é um bairro maravilhoso e toda essa região precisa ser reativada, a cidade precisa vir mais aqui", afirmou Guerreiro destacando que  projeto está pronto e está em fase de captação de recurso. A ideia é que seja entregue até o final da atual gestão, em 2020. 

Durante o cortejo deste ano foi gravado um documentário. "Esse ano como o tema é Patrimônio do Povo a gente está fazendo um documentário do Dois de Julho sob a perspectiva popular. Ou seja, entrevistar as pessoas que participam, os quebra-ferro que ninguém conhece são os que puxam o carro. Os fiéis, as pessoas que são apaixonadas pelo caboclo, ou seja, todo o trabalho mostrando que essa festa talvez seja a festa mais popular da cidade", afirmou Guerreiro. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas