Dia Mundial dos Pobres reuniu centenas de pessoas na casa de Santa Dulce

salvador
17.11.2019, 17:25:00
(Osid/Divulgação)

Dia Mundial dos Pobres reuniu centenas de pessoas na casa de Santa Dulce

Arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, presidiu missa e almoçou com moradores de rua

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Lembrado mundialmente neste domingo (17), o Dia Mundial dos Pobres foi marcado em Salvador por um evento que ofereceu diversos serviços a pessoas em situação de vulnerabilidade social, sobretudo moradores de rua, na Praça Irmã Dulce (Largo de Roma). Das 7h às 11h elas puderam ter orientações em saúde com médicos, dentistas e fisioterapeutas.

Foi o caso do catador Carlos Costa, 56 anos, que procurou atendimento odontológico por conta de um dente inflamado, e recebeu avaliação clínica e medicação para o tratamento.

A programação começou com distribuição de café da manhã e, nos diversos espaços montados foram oferecidos serviços gratuitos, a exemplo de corte de cabelo e barba, oficina de turbante, aferição de pressão arterial, além de atividades recreativas e culturais com apresentações de música e capoeira.

(Fotos de Osid/Divulgação)

Às 11h, todos se dirigiram ao Santuário Santa Dulce dos Pobres, onde foi celebrada uma missa dedicada aos menos favorecidos. O arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, que presidiu a celebração, citou a frase impressa na faixa que os homenageados do dia levaram até o altar: “A esperança dos pobres jamais se frustrará” (Sal 9, 19). Depois, fez referência à obra que Santa Dulce fundou para acolhê-los lembrando de que os menos favorecidos precisam da nossa ação solidária, exatamente como ela ensinou: “Quando cada um faz um pouco, o pouco de muitos se soma."

Após a missa, todos se reuniram para compartilhar o almoço no estacionamento do santuário. Repetindo o gesto do Papa Francisco, Dom Murilo e a superintendente das Obras Sociais Irmã Dulce - OSID, Maria Rita Pontes, distribuíram refeições para os mais pobres, muitos deles sem-teto. Com a cooperação de voluntários, foram oferecidas 650 quentinhas com feijão, arroz, isca de frango com cenoura, farofa e salada.

Na casa da chamada Mãe dos Pobres, o dia instituído pelo Sumo Pontífice para fazer o mundo lembrar-se dos excluídos, tem sempre um significado maior, como ressalta Maria Rita: “Para nós, todos os dias é dia de amar e de servir as pessoas mais amadas por Irmã Dulce e pelo Papa Francisco. Então, acho que hoje Santa Dulce deve estar muito feliz”.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas