Do desconto ao frete: 10 dicas para sair na vantagem durante a Black Friday 2020

coronavírus
22.11.2020, 11:00:00
(Imagem: Shutterstock)

Do desconto ao frete: 10 dicas para sair na vantagem durante a Black Friday 2020

Especialistas em e-commerce apontam também as 'fraudes' e 'ciladas' que consumidor deve evitar

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Falta menos de uma semana para mais uma edição da Black Friday e a advogada Pollyana Rosa, de 36 anos, já está de olho na oferta de  descontos para os produtos que deseja comprar. Na lista, além de roupas,  tem também artigos esportivos. Precinho é bom e promoção todo mundo gosta, mas o valor do frete para ela, é decisivo: “fiz muitos carrinhos em várias lojas online e não efetuei o pagamento, justamente pelo valor exacerbado do frete”, afirma.

Se depender disso, Pollyana não vai sair da página sem efetivar a compra. Isto porque, segundo dados levantados pelo Ebit | Nielsen, na primeira quinzena de novembro 47,5% dos consumidores compraram com frete grátis. E quem pagou pela entrega, gastou em média R$ 18,91. No mesmo período do mês passado, 44% dos pedidos tiveram frete grátis e o restante, com valor médio pago  de R$ 20,03.

Pollyana já começou a monitorar os preços para aproveitar a Black Friday, na próxima sexta-feira (27)
(Foto: Acervo pessoal)

O cenário aponta para uma queda na taxa, depois de o consumidor ter pago no Dia do Cliente, 43% a mais pelo frete. Na pesquisa feita pela Social Miner, após a campanha promocional, em setembro, a taxa de entrega pulou de R$ 14,62 para R$ 20,85 na comparação entre a média da taxa cobrada durante a sazonalidade neste ano, em relação a 2019.

Até chegar sexta-feira (27) tem muita loja esquentando as promoções, inclusive, com  frete grátis, como no site da Hering, Casas Bahia, Dafiti e Ri Happy, por exemplo. Há também ofertas com promessa de redução que chega a 70%. Por isso, especialistas em e-commerce destacaram algumas estratégias para quem quer aproveitar a Black Friday sem fraude. Confira as 10 dicas para sair na vantagem: 


1. Frete grátis?  O especialista em e-commerce e sócio-diretor da plataforma de cashback Meu Dim Dim, Felipe Rodrigues faz um alerta sobre as condições de oferta para frete grátis - que variam desde o valor mínimo de compra, código do vendedor e região - e  ao  prazo de entrega. “Nestes casos, é preciso que o consumidor preste atenção para não olhar ‘Frete Grátis’ e, na hora de pagar pela compra, por não alcançar o valor mínimo, ou uma destas condições, acabar pagando um frete caro por não estar dentro dos requisitos”.

2. Preço final Comparar o preço final (frete + produto) entre os diversos sites é fundamental para não perder dinheiro, como sugere o especialista em cadeia de Suprimentos, Data Analytics e Inovação da AGR Consultores, Cesar Tessaro. Conhecer o preço do produto antes, ajuda muito a saber se o desconto na Black Friday é válido ou não.  “Outros sites com descontos inferiores podem oferecer a melhor oportunidade, quando comparado aos sites com desconto maior, porém com frete mais alto”.

3. Falso desconto Uma das principais ‘ciladas’ comuns em promoções como a Black Friday é o desconto significativo, porém, com um valor do frete caro. Nesse momento, o consumidor precisa ligar mais uma vez o alerta para não acabar comprometendo a redução que havia conseguido com a oferta. “Por isso, vale a pena pesquisar e simular dias antes qual a média do frete cobrado para que a entrega aconteça no endereço pretendido, assim como observar também o comportamento dos preços”, pontua Felipe Rodrigues.

4. Compre por categoria Aqui, a dica do ceo da  empresa de gestão de e-commerce E-Thinkers, Thiago Santos é separar as coisas que deseja comprar por categorias, agrupando o máximo de itens em uma loja só. “Isso pode ajudar a ter um custo de frete mais eficiente, sobretudo, nos marketplaces, onde cada vendedor vai cobrar um valor diferente. Vale a pena também se inscrever para receber promoções. As lojas criam incentivos especiais para esses clientes”.

5. Reputação da loja Fica aqui mais um conselho: não basta apenas pesquisar a reputação da loja e  sobre sua segurança na internet ou os comentários relacionados ao produto que vai comprar. Observe as queixas sobre o cumprimento dos prazos de entrega, devolução, troca de produtos e reembolso. Quem orienta é o  gerente especialista em logística da plataforma de e-commerce Tray, Alexandre Davoli. “Pesquise sempre a reputação da loja em sites como o Reclame Aqui e Consumidor.gov.br”.

6. Mesmo pedido, entregas diferentes Outro ponto que o consumidor deve ficar ligado para não acabar pagando vários fretes em uma compra só, como sinaliza Cesar Tessaro. “Se o site não conseguir juntar os pedidos numa entrega só, pode ser cobrado um frete para cada entrega e isso encarecer o valor final da compra. Vale observar também os fretes ‘ocultos’ ou pouco visíveis. Simule a compra até o momento anterior de escolher o método de pagamento para se certificar de qual será o preço cobrado”.

7. Chegou? Confira suas compras Após o recebimento do produto, não deixe de abrir e conferir tudo antes do período de sete dias. É importante verificar, inclusive, as condições de troca e estorno de valor que as lojas oferecem, assim como as políticas de entrega, já que muitas delas, a depender da transportadora, só fazem a entrega uma vez.  “Por lei, após esse período, as lojas não são obrigadas a trocar ou receber sua compra que foi feita pela internet de volta”, ressalta Thiago Santos.

8. Ofertas com só uma opção de frete Essa é outra armadilha que o consumidor pode encontrar, como aponta Alexandre Davoli. “Algumas lojas utilizam a estratégia de colocar o valor do produto extremamente baixo e o valor do frete muito alto. A oferta desse item com uma única opção de frete com prazo de entrega muito alto, acaba indicando que o vendedor não possui o produto em estoque e realizará a compra após receber o pagamento do consumidor para somente então, fazer o envio”.

9. Frete em dólar Outra tentação para o consumidor são as ofertas em sites internacionais e muita gente acaba se passando que além das taxas do cartão de crédito, o frete também leva em consideração a moeda estrangeira e, assim, comprometer o desconto. “Atenção redobrada ao valor do frete cobrado em dólares ou outra moeda internacional. Faça a conversão para Reais para evitar surpresas. Lembrando que  podem incorrer impostos nessas compras”, diz Cesar Tessaro.

10. É seu direito Em caso de compras pela internet, o vendedor é obrigado a apresentar as condições e valor, antes da finalização da compra, além de cumprir com ofertas de isenção do pagamento, conforme esclarece o advogado do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Igor Marchetti. “O não-atendimento, de acordo com os termos pré-fixados, pode gerar o direito de cancelar a compra com a devolução da quantia paga, inclusive, relativa ao frete”.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas