Do nada: um ano e sete meses depois, Pituaçu reabre; por que o futuro do parque preocupa?

salvador
19.10.2021, 06:30:00
Atualizado: 19.10.2021, 22:03:15

Do nada: um ano e sete meses depois, Pituaçu reabre; por que o futuro do parque preocupa?

Reabertura ocorreu sem divulgação do Governo; parques estaduais estão em processo de concessão

Sabia não? Após um ano e sete meses fechado, o Parque de Pituaçu, principal reserva de área verde de Salvador, reabriu no último sábado (16). E foi, de fato, do nada: sem divulgação nas mídias do Governo do Estado, sem nota à imprensa e sem maiores avisos à população.

Até a comunidade que vive em torno do parque e que zela por ele foi pega de surpresa. As mesmas pessoas que, nos últimos quatro meses, realizaram diversos protestos e cobraram do Governo uma previsão de reabertura. E que reclamam da falta de transparência e de diálogo durante todo o processo.

No 22º episódio do podcast O Que a Bahia Quer Saber você entenderá por que o fechamento prolongado de Pituaçu preocupou tanto a comunidade e os ambientalistas. E por que a falta de divulgação da reabertura também gera desconfiança em meio a um processo de concessão à iniciativa privada.

Clique no player abaixo para ouvir o episódio do O Que a Bahia Quer Saber:

Para ouvir diretamente no Anchor, clique aqui.

Você também pode ouvir em outros aplicativos (veja abaixo)

Afinal, não apenas Pituaçu, mas outros quatro parques estaduais - como o Zoológico e o São Bartolomeu, ambos em Salvador - estão em processo de concessão à iniciativa privada por meio do BNDES. E muitos líderes de atividades culturais, esportivas e sociais que existem nessas áreas se sentem ameaçados.

Segundo a Secretaria de Meio-Ambiente do Estado da Bahia (Sema), a ordem de reabertura dos parques estaduais foi dada pelo próprio governador Rui Costa na sexta-feira (15). Na quinta-feira (14), as autarquias garantiam que as áreas não tinham previsão de reabertura.

Comunidade de Pituaçu, entidades sociais e ambientais pedem maior transparência e diálogo no processo de concessão dos parques públicos. Nesse sentido, com tantas áreas já reabertas - shoppings, academias, bares e restaurantes - por que os parques ficaram tanto tempo fechados?

Toda semana, você tem no podcast O Que a Bahia Quer Saber uma matéria especial em formato de áudio. Um mergulho em algum tema de relevância para o estado. Você poderá acessar os episódios aqui mesmo no site do Correio* no seu aplicativo favorito de podcasts: no Spotify, no Deezer, no Anchor, no Google Podcasts ou no Apple Podcasts.

Você também pode ouvir nos aplicativos de sua preferência:


Spotify:

Para ouvir diretamente no Spotify, clique aqui.


Apple Podcasts:

Para ouvir diretamente no Apple Podcasts, clique aqui.


Castbox:

Para ouvir diretamente no Castbox, clique aqui.


Deezer:

Para ouvir diretamente no Deezer, clique aqui.


Google Podcasts:


Para ouvir diretamente no Google Podcasts, clique aqui.


Outros aplicativos


Para ouvir no Stitcher, clique aqui.

Para ouvir no Pocket Casts, clique aqui.

Para ouvir no Breaker, clique aqui.

Para ouvir no Radio Public, clique aqui.


Mas... O que é "podcast"?

Podcast é um programa de áudio, igualzinho a um de rádio. A diferença é que você pode ouvir quando, como e onde quiser. Pode ser no celular, no computador ou na TV. Se quiser, você pode pausar, voltar, adiantar ou pular os trechos, se preferir.

Para ouvir, basta tocar no player acima. Ou, se preferir, basta clicar nos links para ouvi-lo no Spotify, no Deezer, no Apple Podcasts ou no Google Podcasts. Também é possível buscar os episódios diretamente nos aplicativos.

O Que a Bahia Quer Saber

O CORREIO produz podcasts desde 2017, quando iniciou o Bate-Pronto Podcast, sobre futebol baiano. Em 2020, lançamos o O Que a Bahia Quer Saber, podcast diário com notícias relevantes para o estado.

Em 2021, o O Que a Bahia Quer Saber volta com formato especial: a cada semana, o leitor (e ouvinte!) terá uma matéria especial, com o padrão do CORREIO de jornalismo, porém explorando toda a riqueza que o áudio pode trazer.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas