Duas horas antes de ser solto, líder de facção é preso novamente na Bahia

bahia
19.12.2017, 11:48:00
Atualizado: 19.12.2017, 12:55:55
(Reprodução/Almiro Lopes)

Duas horas antes de ser solto, líder de facção é preso novamente na Bahia

Polícia localizou celulares e drogas na cela de Val Bandeira, criador do CP

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Líder e fundador da facção criminosa Comando da Paz (CP), Josevaldo Bandeira, conhecido popularmente como Val Bandeira, seria solto nesta terça-feira (19). Mas, duas horas antes de ser liberado do sistema prisional, foi preso novamente dentro do Complexo Penitenciário da Mata Escura, em Salvador. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), ele receberia livramento condicional após 14 anos de detenção, mas continuava determinando a execução de crimes fora da cadeia. 

Val tem atuação no tráfico de drogas, roubos a bancos e homicídios. A saída do presidiário estava marcada para esta terça, após uma audiência, mas o cumprimento do mandado de prisão mantém o chefão do tráfico preso. Além da Unidade Especial Disciplinar (UED), na Mata Escura, ele também ficou preso nas unidades federais de Catanduvas (PR), e Serrinha, no Centro Norte baiano, devido ao seu elevadíssimo grau de periculosidade.

"As investigações comprovam que as ordens para comparsas do Nordeste de Amaralina efetuarem os roubos partiram do sentenciado. Além destes crimes, Val Bandeira continuava exercendo o papel de líder da facção, dizendo como os negócios ilícitos deveriam ser realizados", diz a SSP em nota, explicando a nova prisão. 

Foto: Divulgação/SSP

Celulares 
Com base nas investigações, equipes do Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP) e da Coordenadoria de Operações Especiais (COE) cumpriram o mandado de prisão preventiva na UED, considerada de segurança máxima. "Chegamos lá às 6h, duas horas antes de Val Bandeira ir para uma audiência na Vara de Execuções Penais, onde o juiz leria a carta de livramento condicional", declarou o delegado Adailton Adan, do DCCP. 

Os agentes estavam também com mandados de busca e apreensão e, durante revista na cela de Val Bandeira, encontraram celulares, chips de operadoras de telefonia e drogas na cela do detento."Foi um trabalho conjugado com Polícia Civil, Ministério Público Estadual (MPE) e Poder Judiciário", declara o delegado. Val Bandeira, que já chegou a cumprir parte da pena em Presídio Federal, tem participação direta em roubos a estabelecimentos comerciais, na região do Horto Florestal.

Condicional
Durante audiência realizada no dia 14 de dezembro na Vara de Execuções Penais de Salvador, a defesa pediu que Val Bandeira fosse beneficiado pelo livramento condicional, ao declarar que o interno apresentava os critérios para obtenção deste benefício. 

Então, a Justiça ratificou o pleito afirmando que “este benefício é uma etapa da pena que visa preparar o condenado para usar sua liberdade definitiva” assim sendo foi expedida sua carta de livramento condicional.

"Este criminoso é acompanhado há anos pelas forças de segurança estaduais. Com mais esse flagrante esperamos que ele permaneça mais tempo longe das ruas, dando mais tranquilidade à população baiana", declarou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas