'Ela não conseguiu dar 10 minutos de sua vida a ele', diz avó do menino Miguel

brasil
08.06.2020, 08:50:18
(Foto: Reprodução)

'Ela não conseguiu dar 10 minutos de sua vida a ele', diz avó do menino Miguel

Criança morreu ao cair de prédio após negligência de Sarí Corte Real, a patroa

Marta Alves, avó do menino Miguel, se mostrou revoltada com a postura de Sarí Corte Real, a patroa que deixou a criança sozinha no elevador, resultando na morte da criança de apenas cinco anos aa última terça-feira (2). Marta revezava com a filha, Mirtes, no trabalho como empregada doméstica na casa de Sarí, mulher do prefeito de Tamandaré (PE), Sérgio Hacker (PSB).

Em entrevista ao Fantástico, neste domingo, Marta lamentou a morte de seu único neto. "Eu dei 6 anos da minha vida para os filhos dela, ela não conseguiu dar 10 minutos para o meu neto", disse a avó do menino.

A Polícia Civil de Pernambuco chegou a afirmar em entrevista coletiva na semana passada que a patroa agiu com negligência. Segundo o delegado, a dona do apartamento “era a responsável legal pela guarda momentânea” do menino.

Imagens do circuito de câmeras de segurança, divulgadas pela Polícia Civil, mostram o momento em que a patroa fala com o menino no elevador e parece apertar um botão para a cobertura do prédio. O menino aperta outros botões e acaba saindo do elevador no 9º andar, onde escalou uma grade na área dos aparelhos de ar-condicionado e caiu de uma altura de 35 metros.

Sarí foi presa em flagrante, pagou uma fiança de R$ 20 mil e irá responder em liberdade por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. "Se fosse a minha filha, ela estaria presa, e não teria dinheiro no mundo que soltasse", criticou a avó.

Segundo o advogado de Sarí, há outros vídeos que mostram que a mulher tentou convencer o menino a deixar o elevador em diversos momentos. E em uma das imagens ele chega a sair.

Na última sexta-feira (5), ela divulgou uma carta pedindo perdão à empregada doméstica. "Nunca, mas nunca mesmo, pude imaginar que qualquer mal pudesse acontecer a Miguel, muito menos a tragédia que se sucedeu", redigiu.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas