Em meio a maratona, Vitória pode ter até cinco desfalques

e.c. vitória
25.08.2019, 19:05:23
Atualizado: 26.08.2019, 12:08:58
Lucas Cândido está entre os que reclamaram de dor (Letícia Martins / EC Vitória)

Em meio a maratona, Vitória pode ter até cinco desfalques

Jogadores se reapresentaram neste domingo reclamando de dor

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Os problemas do Vitória na Série B vão além do pouco tempo para treinar. Talvez por consequência disso, o técnico Carlos Amadeu tem um bom número de jogadores reclamando de dores musculares, que se somam aos desfalques certos para enfrentar o Coritiba.

Depois de empatar em 0x0 com o Operário-PR no sábado (24), partida que terminou às 18h30, o elenco rubro-negro se reapresentou na Toca do Leão na manhã de domingo. Três jogadores apontaram dores e fizeram tratamento na fisioterapia.

Foram eles o lateral-esquerdo Chiquinho, com um edema no tornozelo esquerdo, o volante Lucas Cândido, com dores na panturrilha direita, e o atacante Jordy Caicedo, no músculo posterior de uma das coxas.

O trio será reavaliado nesta segunda-feira (26) pela manhã, no único treino que Amadeu terá com toda a equipe antes de enfrentar o Coxa, fora de casa, na terça-feira, às 19h15. O grupo embarca para a capital paranaense pela tarde, após o treino.

Chiquinho voltou de lesão contra o Operário, depois de se machucar contra o Paraná, no dia 10. Lucas participou de todas as seis últimas partidas, assim como Caicedo disputou as últimas cinco.

Se algum deles for desfalque, aumentará uma lista de baixas do comandante que já contém atletas importantes. São eles o volante Baraka e o meia Felipe Gedoz, que receberam o terceiro cartão amarelo diante do Operário-PR.

“A saída de dois jogadores por cartão é natural, estamos numa competição em que isso vai acontecer. Por isso queremos um elenco fortalecido. Vamos ter calma, analisar o que aconteceu nesse jogo [Operário] e, a partir daí, pensar na próxima partida”, disse o treinador rubro-negro.

Correção: ao contrário do informado inicialmente, o meia Ruy está apto para enfrentar o Coritiba, mesmo sendo emprestado pelo clube paranaense. A informação do veto havia sido divulgada no domingo pelo Vitória, que nesta segunda-feira fez a retificação.

Fazer o quê?
Para a posição de Baraka ou Lucas Cândido, Amadeu tem como opções Léo Gomes, Gabriel Bispo, Rodrigo Andrade e Marciel. Para o meio-campo ofensivo, as opções são limitadas. Sem Ruy e Gedoz, sobra Nickson, que foi mal contra o Operário.

O rubro-negro está numa maratona de quatro jogos em nove dias. Enfrentou o CRB no dia 18, o América-MG no dia 21, o Operário no dia 24 e agora tem o Coritiba.

Amadeu teve boa notícia: o zagueiro Zé Ivaldo, fora de ação desde o dia 9 de julho, voltou a treinar normalmente e pode ser relacionado.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas