Empoderadas e empreendedoras: iniciativa investe no empreendedorismo feminino

economia
31.12.2018, 06:00:00
Rosemma Maluf defende que o empoderamento passa pelo associativismo empresarial feminino (Foto: Dario G. Neto/ASN Bahia)

Empoderadas e empreendedoras: iniciativa investe no empreendedorismo feminino

Projeto de educação empreendedora foca nas mulheres e tem duração de 12 meses

Em 2011, a empresária Isabel Castro aproveitou sua experiência em montar showrooms em lojas para criar o próprio negócio de venda de móveis para empresas. Nascia o Estúdio Contract Comércio de Móveis. O escritório pequeno na Barra deu lugar a um maior no Rio Vermelho e depois em Vilas do Atlântico. Ela lutou com as dificuldades iniciais e alguns reveses. O exemplo dela vem servindo para inspirar outras mulheres que procuram Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) para abrir o próprio negócio. 

Na verdade, desde o início de dezembro, o Sebrae vem desenvolvendo o Projeto Nacional de Empreendedorismo Feminino, cuja proposta é integrar redes locais, nacionais e internacionais de empresárias e será aplicado em 11 estados brasileiros, durante 24 meses, segundo previsão inicial. 

Além da Bahia, a proposta será levada para os estados de Rondônia, Roraima, Maranhão, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, Goiás, Santa Catarina e Paraná. “Em 2018 fizemos várias ações para fortalecer o empreendedorismo feminino e agora estamos lançando esse importante projeto nacional, que começou em Mato Grosso do Sul e atraiu o interesse de outros estados”, explicou a diretora técnica do Sebrae, Heloisa Menezes.

Vale salientar que a iniciativa integra as ações previstas pelo Sebrae, que assinou a Carta dos Princípios do Empoderamento Feminino, idealizada pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pelo Pacto Global das Nações Unidas. A carta prevê que instituições e empresas se esforcem para aumentar as contribuições para fortalecer a presença das mulheres nos negócios de todo o mundo.

Inspiração

“Fui com uma loja de mais de 200 metros quadrados e, logo após, tive que enfrentar um ano e meio da obra de requalificação do bairro, exatamente na minha porta, o que impossibilitava a ida do cliente. Passei por dois roubos, que me causaram grande prejuízo, financeiro e emocional, e forçaram a minha saída do bairro”, conta a empresária Isabel Castro. 

Motivos para desistir não faltavam, mas ela não desistiu e incrementou sua aposta, dessa vez em Vilas do Atlântico. Ano passado, ela participou do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios, contando a sua história de empreendedora. “O relato me fez praticar uma autoavaliação e me motivou. Em um momento tão difícil que vivemos, já é um grande estímulo conseguirmos inspirar alguém”, explica ela sobre o incentivo que sua história costuma dar a outras mulheres.

De acordo com os dados da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), realizada pela parceria entre Sebrae e Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP), a taxa de empreendedorismo feminino entre os novos empresários é de 15,4%, superando a masculina, de 12,6%. O Brasil registrou um aumento de 34% no número de mulheres empreendedoras entre 2001 e 2014, como revela a pesquisa Donos de Negócios - Análise por Gênero 2015, elaborada pelo Sebrae com dados da Pnad/IBGE de 2014. Em 2014, eram 7,9 milhões as empresárias em atuação no mercado e, desse total, 98,5% como donas de Micro e Pequenas Empresas (MPE).

Lideranças

O Projeto Nacional Sebrae de Empreendedorismo Feminino também contempla a formação de lideranças femininas que possam mudar uma realidade que mostra que nas 500 maiores empresas do mundo, as mulheres representam apenas 3% das posições decisórias. 

Para a coordenadora da Câmara da Mulher Empresária, entidade parceira do Sebrae, Rosemma Maluf, as mulheres avançaram bem no mundo do trabalho, mas esbarram em questões históricas e culturais que as tira dos espaços de poder. “As mulheres vão bem até o segundo escalão, depois disso elas não têm mais representatividade porque as palavras poder e dinheiro são tabus quando associadas ao gênero feminino”, finaliza Rosemma, salientando a necessidade de quebrar esses paradigmas machistas. 


MULHER MARAVILHA

Auxílio  Não tenha receio de pedir ajuda para montar o próprio negócio. Para saber mais sobre o Programa do Sebrae, acesse:www.sebrae.com.br 

Aprovação  Esqueça de buscar a aprovação alheia e foque nas necessidades reais.

Aprimoramento Invista em sua formação continuada, na educação e no aprimoramento dentro da sua área de atuação. O empoderamento passa pela educação.

Multitarefas O desafio de empreender e cuidar da casa e dos filhos é um dos desafios. Você não está sozinha e conversar com outras mulheres pode auxiliar a encontrar saídas interessantes. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas